O que é que a tua aparência pode dizer de ti?

0
0
0
s2sdefault

Se dissermos que absolutamente NADA na aparência de uma pessoa nos chama atenção, estaríamos a mentir. Não precisa de ser atenção no sentido sexual da coisa, mas toda a gente tem um traço que parece mais chamativo – uma barba volumosa, um olho com formato diferente, lábios generosos, sardas, o formato do nariz, a largura dos ombros, tatuagens pelo corpo...

 

O que nos faz considerar uma pessoa bonita ou não é ainda mais subjetivo, e os critérios costumam mudar de pessoa para pessoa; afinal, ainda que exista um padrão que teime em nos dizer o que é e o que não é belo, a verdadeira beleza está apenas nos olhos de quem a vê. Mesmo assim, um estudo parece querer mostrar que a nossa aparência física nos dá mais informações do que possamos imaginar.

A pesquisa, que foi conduzida pela Universidade de Austin, no Texas, analisou a foto de 123 estudantes em duas poses: na primeira, eles deviam apenas olhar para a câmara com uma expressão neutra; na segunda, poderiam posar da forma que quisessem.

Análise das imagens 

Depois das fotos tiradas, um grupo aleatório de pessoas aleatórias foi convidada a analisar as imagens e a relacionar cada uma delas a aspetos de personalidade: introversão ou extroversão, autoestima, religiosidade, cortesia e espontaneidade. 

Numa uma pesquisa igualmente recente, um grupo de voluntários foi exposto a fotos de 10 pessoas diferentes, fazendo cinco expressões faciais distintas. A tarefa dos voluntários era basicamente elencar quão amigáveis, confiáveis e fortes essas pessoas pareciam ser.

Adivinha só o resultado? A tendência geral é que as pessoas acham que aquelas mais sorridentes são mais amigáveis e confiáveis, o que, francamente, não chega a ser uma surpresa. No que diz respeito à força, ganharam aquelas cujo rosto é mais largo.

No que toca às mulheres, a coisa tonra-se mais engraçada. Acontece que, durante determinados períodos do ciclo menstrual, as mulheres tendem a preferir homens com rostos mais masculinos, com traços fortes e barbas. 

A verdade é que a tua aparência pode também revelar alguns aspetos da sua saúde:

Pele enrugada

Além do envelhecimento, as rugas na pele podem indicar algum tipo de problema cardíaco – um estudo realizado em 2012 comparou o número de rugas presentes nos braços de mais de 500 pessoas. A conclusão da pesquisa revelou que as mulheres que tinham menos riscos de doenças cardíacas eram aquelas que pareciam ser pelo menos dois anos mais novas do que realmente eram.

Olhos


Muitas doenças podem ser diagnosticadas através dos olhos. Pontos vermelhos na retina podem indicar que o paciente tem diabetes – se o nível de açúcar na corrente sanguínea for grande demais,pode perder-se a capacaidade de visão. Outras doenças e condições podem ser percebidas pelos olhos: desde infeções a problemas neurológicos.

 

Marcações: Crescer, Saúde , Adolescentes, Corpo Humano , Aparência

0
0
0
s2sdefault

Últimas Notícias

  • Sexta-Feira Santa: O dia do silêncio

    Sexta-Feira Santa: O dia do silêncio

    A celebração de Sexta-Feira Santa é a mais original de todas as da Liturgia romana: Não há eucaristia. O silêncio, o jejum, a oração, as devoções tradicionais, sobretudo as que ajudam a meditar e orar o mistério da cruz, elemento central deste dia ... 

  • Quinta-Feira Santa: A melhor lição de Jesus

    Quinta-Feira Santa: A melhor lição de Jesus

    Com a missa da Ceia do Senhor começa o Tríduo Pascal da morte, sepultura e ressurreição do Senhor. São João dá-nos a chave de tudo o que vivemos: "Amou-nos até ao extremo". 

  • Nos passos de Jesus: A fome no mundo

    Nos passos de Jesus: A fome no mundo

    A nossa proposta de reflexão de hoje centra-se nas milhares de pessoas que passam fome no mundo. Hoje propomos-te os números da fome no mundo. O que podemos nós fazer para inverter esta situação? 

  • O meu pai é o melhor do mundo!

    O meu pai é o melhor do mundo!

    É a maior frase feita do mundo, já sabemos. Infelizmente, contudo, nem toda a gente tem a felicidade de ter um pai tão fixe como os nossos. É por isso que hoje decidimos agradecer a todos os pais fixes do mundo. 

  • Como lidar com

    Como lidar com "bullies"?

    Se estás a ser vítima de "bullying", há muito que podes fazer. Enquanto táticas diferentes funcionam para pessoas diferentes, lembra-te que nunca estás sozinho.

  • Nos passos de Jesus: A vida no Hospital

    Nos passos de Jesus: A vida no Hospital

    Nos hospitais também há crianças e adolescentes. Os acidentes ou as doenças não escolhem idades. Vale a pena dialogar acerca do que é a vida no hospital.

  • Imigrantes: o que posso aprender com eles?

    Imigrantes: o que posso aprender com eles?

    Portugal tem sido um país de acolhimento de variadas culturas. Motivações económicas e políticas são as principais causas para muitas pessoas largarem aquilo que conhecem como casa, como lar. O que podemos aprender com estas histórias de vida?

  • 5 factos sobre o Dia Internacional da Mulher

    5 factos sobre o Dia Internacional da Mulher

    Há mais de 100 anos que o dia 8 de março ficou conhecido como o Dia Internacional da Mulher. Ainda que tenha diferentes significados em vários pontos do globo, hoje é preciso fazer mais do que publicar uma foto com uma hashtag catita.

  • Nos passos de Jesus: perseguidos pela fé

    Nos passos de Jesus: perseguidos pela fé

    Segundo o relatório sobre a Liberdade Religiosa no mundo, a Fundação da Ajuda à Igreja que Sofre (AIS), 20% dos países do mundo não respeitam a liberdade religiosa.

  • O meu amigo está a experimentar drogas, o que posso fazer?

    O meu amigo está a experimentar drogas, o que posso fazer?

    Hoje a nossa proposta de reflexão é a da liberdade dos vícios. São situações muito difíceis de gerir e às quais temos de ter um grande nível de empatia e compreensão. 

  • Sábado Santo: O dia do

    Sábado Santo: O dia do "nada"

    A celebração de Sábado Santo consiste em não ter celebrações. 

  • Nos passos de Jesus: O que posso fazer pelos refugiados?

    Nos passos de Jesus: O que posso fazer pelos refugiados?

    Segundo dados do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados, no final de 2017, estavam deslocadas contra a sua vontade 68,5 milhões de pessoas em todo o mundo, em resultado de guerras, conflitos armados ou violação dos direitos humanos.