Séries: uma bela (e grande) pausa no estudo

0
0
0
s2sdefault

Estás (quase para alguns) de férias e o sofá começa a chamar por ti assim que te levantas da cama, assim que acabas de almoçar...e hora do lanche... e depois de jantar. Antes, durante e depois do estudo, tudo é mais interessante do que estudar. Pegas nas pipocas, no pacote de batatas fritas ou de bolachas e preparas-te para iniciar a melhor parte do dia.

 

Começas a pensar:
Game of Thrones! quero ver a sétima temporada...ainda não está disponível.
CSI (qual deles?)... temporadas a mais e já não me lembro em que episódio fiquei.
Simpsons...não me apetece ver bonecos amarelos.
House of cards...essa série é a que vê o meu pai.

Pode ser complicado escolheres aquilo que vais ver até porque a oferta é mais que muita, só na TV tens acesso a dezenas de séries com novos episódios ou repetições que podes ver e devorar mais do que uma vez. Já para não falar naquelas que podes ver online ou mesmo na Netflix.

O importante é que escolhas uma que te agrade à partida (claro que se adormeceres passado 5 minutos nos 2 primeiros episódios o melhor será procurares outra).

Define o teu estilo: Séries envolventes, com emoções fortes, tens então muito por onde escolher, estilo - drama. Resolver crimes, enigmas com muita tecnologia à mistura, também não faltam hipóteses -  estilo policial.
Se nada disto te faz sequer procurar no Google uma série nova para aproveitares as tuas férias, quanto mais mexer o dedo do comando da tv, deixa-me que te diga uma: The Crown.

 

 

Esta série fala-nos do reinado de Isabel II, um reinado com 65 anos! Os desafios pessoais, familiares... nem as conspirações políticas ficam de fora. Mas mais do que um retrato de uma família real, é o retrado de uma família parecida com outra qualquer, só que claro, com um reino que sofrerá as consequências das tuas decisões (nada demais).  

Ainda melhor do que isto, imagina-te à mesa do jantar com os teus pais, onde dizes que estás a ver uma série sobre monarquia inglesa - e evitas o habitual discurso "Mas não devias estar a estudar?"
Se te começas a interessar por política e até estás a pensar inscrever-te numa associação partidária, esta série ajuda-te a conhecer um pouco dos bastidores.
Se gostas de história e até dedicas a este tema algum do teu tempo livre, esta série leva-te a conhecer mais de uma família real europeia muito influente em todo o século XX.
Se gostas de uma boa série, exibida em 4K, com prémios como os Globos de Ouro já no seu currículo, então esta série é para ti.
Se queres impressionar os teus amigos com conhecimentos sobre a vida de uma grande líder como a Rainha Isabel II, esta série dá-te as ferramentas para o fazeres.

Toma nota: é viciante!

Marcações: Séries, The Crown, Férias, Tempo Livre, História, Reino Unido, Isabel II, Netflix

0
0
0
s2sdefault

Últimas Notícias

  • Sexta-Feira Santa: O dia do silêncio

    Sexta-Feira Santa: O dia do silêncio

    A celebração de Sexta-Feira Santa é a mais original de todas as da Liturgia romana: Não há eucaristia. O silêncio, o jejum, a oração, as devoções tradicionais, sobretudo as que ajudam a meditar e orar o mistério da cruz, elemento central deste dia ... 

  • Quinta-Feira Santa: A melhor lição de Jesus

    Quinta-Feira Santa: A melhor lição de Jesus

    Com a missa da Ceia do Senhor começa o Tríduo Pascal da morte, sepultura e ressurreição do Senhor. São João dá-nos a chave de tudo o que vivemos: "Amou-nos até ao extremo". 

  • Nos passos de Jesus: A fome no mundo

    Nos passos de Jesus: A fome no mundo

    A nossa proposta de reflexão de hoje centra-se nas milhares de pessoas que passam fome no mundo. Hoje propomos-te os números da fome no mundo. O que podemos nós fazer para inverter esta situação? 

  • O meu pai é o melhor do mundo!

    O meu pai é o melhor do mundo!

    É a maior frase feita do mundo, já sabemos. Infelizmente, contudo, nem toda a gente tem a felicidade de ter um pai tão fixe como os nossos. É por isso que hoje decidimos agradecer a todos os pais fixes do mundo. 

  • Como lidar com

    Como lidar com "bullies"?

    Se estás a ser vítima de "bullying", há muito que podes fazer. Enquanto táticas diferentes funcionam para pessoas diferentes, lembra-te que nunca estás sozinho.

  • Nos passos de Jesus: A vida no Hospital

    Nos passos de Jesus: A vida no Hospital

    Nos hospitais também há crianças e adolescentes. Os acidentes ou as doenças não escolhem idades. Vale a pena dialogar acerca do que é a vida no hospital.

  • Imigrantes: o que posso aprender com eles?

    Imigrantes: o que posso aprender com eles?

    Portugal tem sido um país de acolhimento de variadas culturas. Motivações económicas e políticas são as principais causas para muitas pessoas largarem aquilo que conhecem como casa, como lar. O que podemos aprender com estas histórias de vida?

  • 5 factos sobre o Dia Internacional da Mulher

    5 factos sobre o Dia Internacional da Mulher

    Há mais de 100 anos que o dia 8 de março ficou conhecido como o Dia Internacional da Mulher. Ainda que tenha diferentes significados em vários pontos do globo, hoje é preciso fazer mais do que publicar uma foto com uma hashtag catita.

  • Nos passos de Jesus: perseguidos pela fé

    Nos passos de Jesus: perseguidos pela fé

    Segundo o relatório sobre a Liberdade Religiosa no mundo, a Fundação da Ajuda à Igreja que Sofre (AIS), 20% dos países do mundo não respeitam a liberdade religiosa.

  • O meu amigo está a experimentar drogas, o que posso fazer?

    O meu amigo está a experimentar drogas, o que posso fazer?

    Hoje a nossa proposta de reflexão é a da liberdade dos vícios. São situações muito difíceis de gerir e às quais temos de ter um grande nível de empatia e compreensão. 

  • Sábado Santo: O dia do

    Sábado Santo: O dia do "nada"

    A celebração de Sábado Santo consiste em não ter celebrações. 

  • Nos passos de Jesus: O que posso fazer pelos refugiados?

    Nos passos de Jesus: O que posso fazer pelos refugiados?

    Segundo dados do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados, no final de 2017, estavam deslocadas contra a sua vontade 68,5 milhões de pessoas em todo o mundo, em resultado de guerras, conflitos armados ou violação dos direitos humanos.