"Menos é mais" na defesa pelo ambiente

0
0
0
s2sdefault

O uso de recursos naturais para sustentar o exagerado padrão de consumo da sociedade contemporânea é um factor determinante para as mudanças climáticas.

Com base nesta visão, Sabrina Helm, professora na Norton School of Family and Consumer Sciences in the College of Agriculture and Life Sciences na Universidade do Arizona conduziu uma pesquisa sobre o comportamento de consumidores publicada em julho deste ano. O estudo da equipa tem como objetivo entender como é que os valores materialistas afetam comportamentos pró-ambientais.

O foco do estudo foram os dois seguintes comportamentos: redução do consumo geral, que inclui reparar itens  em vez de trocá-los por novos e viver com menos coisas (reduzindo peças do guarda-roupa, por exemplo); e “consumo verde”, ou seja, dar preferência a produtos de menor impacto ambiental, de cadeia produtiva mais limpa (como produtos reciclados e reutilizáveis).

Menos é mais também para o bem-estar

A pesquisa também procurou avaliar como é que o envolvimento em comportamentos pró-ambientais afeta o bem-estar do consumidor. O consumo verde, embora tenha impacto positivo no meio ambiente (ainda que em menor grau do que a redução do consumo), não parece afetar positivamente o bem-estar dos consumidores, apontou o estudo.

Os participantes que adotam o consumo reduzido demonstram aumento no bem-estar e redução de sofrimento psicológico, o mesmo não se verifica no outro grupo. “A chave é reduzir o consumo e não apenas comprar coisas verdes. Ter menos e comprar menos pode realmente tornar-nos mais satisfeitos e felizes”, diz Helm.

A investigadora pontua a dificuldade em alterar alguns padrões de comportamento e consumo devido ao forte peso da construção social. Segundo ela, “desde a infância disseram-nos que existe um produto para tudo e que não há problema em comprar, e isso é bom, porque é assim que a economia funciona.”

As conclusões dos investigadores basearam-se em dados de um estudo que acompanhou 968 jovens adultos desde o primeiro ano da faculdade, quando tinham entre 18 e 21 anos, até dois anos após a licenciatura e mestrado, já com idades entre os 23 e 26 anos.

Marcações: Ecologia, Ciência, Ambiente, Compras, Economia, Consumismo

0
0
0
s2sdefault

Últimas Notícias

  • Sexta-Feira Santa: O dia do silêncio

    Sexta-Feira Santa: O dia do silêncio

    A celebração de Sexta-Feira Santa é a mais original de todas as da Liturgia romana: Não há eucaristia. O silêncio, o jejum, a oração, as devoções tradicionais, sobretudo as que ajudam a meditar e orar o mistério da cruz, elemento central deste dia ... 

  • Quinta-Feira Santa: A melhor lição de Jesus

    Quinta-Feira Santa: A melhor lição de Jesus

    Com a missa da Ceia do Senhor começa o Tríduo Pascal da morte, sepultura e ressurreição do Senhor. São João dá-nos a chave de tudo o que vivemos: "Amou-nos até ao extremo". 

  • Nos passos de Jesus: A fome no mundo

    Nos passos de Jesus: A fome no mundo

    A nossa proposta de reflexão de hoje centra-se nas milhares de pessoas que passam fome no mundo. Hoje propomos-te os números da fome no mundo. O que podemos nós fazer para inverter esta situação? 

  • O meu pai é o melhor do mundo!

    O meu pai é o melhor do mundo!

    É a maior frase feita do mundo, já sabemos. Infelizmente, contudo, nem toda a gente tem a felicidade de ter um pai tão fixe como os nossos. É por isso que hoje decidimos agradecer a todos os pais fixes do mundo. 

  • Como lidar com

    Como lidar com "bullies"?

    Se estás a ser vítima de "bullying", há muito que podes fazer. Enquanto táticas diferentes funcionam para pessoas diferentes, lembra-te que nunca estás sozinho.

  • Nos passos de Jesus: A vida no Hospital

    Nos passos de Jesus: A vida no Hospital

    Nos hospitais também há crianças e adolescentes. Os acidentes ou as doenças não escolhem idades. Vale a pena dialogar acerca do que é a vida no hospital.

  • Imigrantes: o que posso aprender com eles?

    Imigrantes: o que posso aprender com eles?

    Portugal tem sido um país de acolhimento de variadas culturas. Motivações económicas e políticas são as principais causas para muitas pessoas largarem aquilo que conhecem como casa, como lar. O que podemos aprender com estas histórias de vida?

  • 5 factos sobre o Dia Internacional da Mulher

    5 factos sobre o Dia Internacional da Mulher

    Há mais de 100 anos que o dia 8 de março ficou conhecido como o Dia Internacional da Mulher. Ainda que tenha diferentes significados em vários pontos do globo, hoje é preciso fazer mais do que publicar uma foto com uma hashtag catita.

  • Nos passos de Jesus: perseguidos pela fé

    Nos passos de Jesus: perseguidos pela fé

    Segundo o relatório sobre a Liberdade Religiosa no mundo, a Fundação da Ajuda à Igreja que Sofre (AIS), 20% dos países do mundo não respeitam a liberdade religiosa.

  • O meu amigo está a experimentar drogas, o que posso fazer?

    O meu amigo está a experimentar drogas, o que posso fazer?

    Hoje a nossa proposta de reflexão é a da liberdade dos vícios. São situações muito difíceis de gerir e às quais temos de ter um grande nível de empatia e compreensão. 

  • Sábado Santo: O dia do

    Sábado Santo: O dia do "nada"

    A celebração de Sábado Santo consiste em não ter celebrações. 

  • Nos passos de Jesus: O que posso fazer pelos refugiados?

    Nos passos de Jesus: O que posso fazer pelos refugiados?

    Segundo dados do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados, no final de 2017, estavam deslocadas contra a sua vontade 68,5 milhões de pessoas em todo o mundo, em resultado de guerras, conflitos armados ou violação dos direitos humanos.