Para lá da música: "Christmas Unicorn" de Sufjan Stevens

0
0
0
s2sdefault

Quando pensamos em músicas de Natal pensamos logo na Mariah Carey, no Michael Bublé, nos Wham!, no Coro de Santo Amaro de Oeiras ... a variedade não acaba. Hoje propomos-te um "registo" natalício diferente.

 A música que te propomos hoje é da autoria de Sufjan Stevens. Já falamos dele algumas vezes, mas hoje a música tem tudo (ou nada?) a ver com o Natal. Chama-se "Christmas Unicorn":

A música tem mais de 12 minutos e com ela surge uma mensagem intrigante sobre a natureza do Natal. Como seria de esperar de Sufjan, as letras são ao mesmo tempo lúdicas e profundas, comunicativas e ao mesmo tempo indescritíveis (e alusivas).

letra2

Nas primeiras frases, apercebemo-nos que Sufjan está a misturar categorias que não parecem ser "da mesma laia".

O que é que o Natal tem a ver com unicórnios? O que isso tem a ver com bodes e escudos de feiticeiros?

Na segunda estrofe, conseguimos decifrar um pouco melhor do que se está a falar - de facto, o nosso Natal tem algumas "raízes pagãs". Quando ouvimos as palavras "hysterically american", o cantor começa a aprofundar aquilo que nós estamos a fazer do Natal - uma mistura de tradições com o consumismo impulsivo, sem nexo e afastado da sua essência. 

Se pensarmos bem, o natal que se publicita no século XXI é uma confusão confusa de categorias. Tantos setores da nossa sociedade moderna olham para esta época festiva e vêem coisas muito diferentes. Mas será que isso é bom ou mau? A música termina com o refrão: “Está tudo bem! Eu gosto muito de ti!"

A visão de Natal de Sufjan é explicada na obra de arte que é Silver & Gold (que inclui um belo ensaio sobre as conotações escatológicas da época do advento pelo pastor protestante Vito Aiuto e um ensaio sobre o significado da árvore de Natal escrita pelo próprio Sufjan ). 

Numa entrevista sobre este álbum, Sufjan Stevens explica que o Natal é o que fazemos dele. Alguns escolhem ignorar Jesus no Natal, mas trata-se apenas de uma escolha. Muitos de nós afirmam que o Natal é sobre Jesus, mas comportam-se como se tratasse apenas do consumismo e das bebidas sazonais do Starbucks. O Natal é o que fazemos dele.

Mas no seu melhor, o Natal reflete “mistério e magia”. Parece que a nossa sociedade como um todo tem a sensação de que isso é verdade, e isso aparece nas histórias sobre o Pai Natal, elfos, e uma simpática rena de nariz vermelho. O Natal também aparece numa bela (e verdadeira) história de um Criador que apareceu misteriosamente numa manjedoura, foi adorado por pastores e reis e, finalmente, passou a salvar o mundo. Isso sim é pura magia! 

Marcações: Valores, Jesus , Música, Natal, Advento, Mensagem

0
0
0
s2sdefault

Últimas Notícias

  • Sexta-Feira Santa: O dia do silêncio

    Sexta-Feira Santa: O dia do silêncio

    A celebração de Sexta-Feira Santa é a mais original de todas as da Liturgia romana: Não há eucaristia. O silêncio, o jejum, a oração, as devoções tradicionais, sobretudo as que ajudam a meditar e orar o mistério da cruz, elemento central deste dia ... 

  • Quinta-Feira Santa: A melhor lição de Jesus

    Quinta-Feira Santa: A melhor lição de Jesus

    Com a missa da Ceia do Senhor começa o Tríduo Pascal da morte, sepultura e ressurreição do Senhor. São João dá-nos a chave de tudo o que vivemos: "Amou-nos até ao extremo". 

  • Nos passos de Jesus: A fome no mundo

    Nos passos de Jesus: A fome no mundo

    A nossa proposta de reflexão de hoje centra-se nas milhares de pessoas que passam fome no mundo. Hoje propomos-te os números da fome no mundo. O que podemos nós fazer para inverter esta situação? 

  • O meu pai é o melhor do mundo!

    O meu pai é o melhor do mundo!

    É a maior frase feita do mundo, já sabemos. Infelizmente, contudo, nem toda a gente tem a felicidade de ter um pai tão fixe como os nossos. É por isso que hoje decidimos agradecer a todos os pais fixes do mundo. 

  • Como lidar com

    Como lidar com "bullies"?

    Se estás a ser vítima de "bullying", há muito que podes fazer. Enquanto táticas diferentes funcionam para pessoas diferentes, lembra-te que nunca estás sozinho.

  • Nos passos de Jesus: A vida no Hospital

    Nos passos de Jesus: A vida no Hospital

    Nos hospitais também há crianças e adolescentes. Os acidentes ou as doenças não escolhem idades. Vale a pena dialogar acerca do que é a vida no hospital.

  • Imigrantes: o que posso aprender com eles?

    Imigrantes: o que posso aprender com eles?

    Portugal tem sido um país de acolhimento de variadas culturas. Motivações económicas e políticas são as principais causas para muitas pessoas largarem aquilo que conhecem como casa, como lar. O que podemos aprender com estas histórias de vida?

  • 5 factos sobre o Dia Internacional da Mulher

    5 factos sobre o Dia Internacional da Mulher

    Há mais de 100 anos que o dia 8 de março ficou conhecido como o Dia Internacional da Mulher. Ainda que tenha diferentes significados em vários pontos do globo, hoje é preciso fazer mais do que publicar uma foto com uma hashtag catita.

  • Nos passos de Jesus: perseguidos pela fé

    Nos passos de Jesus: perseguidos pela fé

    Segundo o relatório sobre a Liberdade Religiosa no mundo, a Fundação da Ajuda à Igreja que Sofre (AIS), 20% dos países do mundo não respeitam a liberdade religiosa.

  • O meu amigo está a experimentar drogas, o que posso fazer?

    O meu amigo está a experimentar drogas, o que posso fazer?

    Hoje a nossa proposta de reflexão é a da liberdade dos vícios. São situações muito difíceis de gerir e às quais temos de ter um grande nível de empatia e compreensão. 

  • Sábado Santo: O dia do

    Sábado Santo: O dia do "nada"

    A celebração de Sábado Santo consiste em não ter celebrações. 

  • Nos passos de Jesus: O que posso fazer pelos refugiados?

    Nos passos de Jesus: O que posso fazer pelos refugiados?

    Segundo dados do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados, no final de 2017, estavam deslocadas contra a sua vontade 68,5 milhões de pessoas em todo o mundo, em resultado de guerras, conflitos armados ou violação dos direitos humanos.