Notice: Trying to access array offset on value of type int in /home/www/html/templates/yoo_bento/warp/src/Warp/Config/Repository.php on line 243

Notice: Trying to access array offset on value of type int in /home/www/html/templates/yoo_bento/warp/src/Warp/Config/Repository.php on line 243

Notice: Trying to access array offset on value of type int in /home/www/html/templates/yoo_bento/warp/src/Warp/Config/Repository.php on line 243

Notice: Trying to access array offset on value of type int in /home/www/html/templates/yoo_bento/warp/src/Warp/Config/Repository.php on line 243

Como é que os animais veem o mundo?

0
0
0
s2sdefault

Apesar da importância de todos os cinco sentidos, a visão tem um papel predominante. Mesmo que os animais, em geral, utilizem outras formas de interagir com o mundo, sempre fica a pergunta sobre como veem eles o mundo.

Através da compilação de dados obtidos por diversos estudos, a cientista Eleanor Caves, da Universidade de Duke, nos Estados Unidos, conseguiu analisar aproximadamente 600 espécies de pássaros, mamíferos, peixes e outros animais. O objetivo da pesquisa foi determinar a capacidade que cada um deles tem ver o mundo e como seria a sua capacidade de visão através dos nossos olhos.

Método padronizado

A medida utilizada para a comparação foi o número de ciclos por grau, ou seja, a quantidade de linhas paralelas, pretas e brancas, que um animal consegue ver num grau do seu campo de visão. Caves explicou ao Live Science que a equivalência é ao tamanho de um polegar, quando estamos com o braço completamente esticado. Um humano sem problemas nessa área consegue ver 60 ciclos, ou linhas.

Quanto menos desses traços forem identificados, pior é o equipamento ocular. O nosso não é o melhor da cadeia alimentar, mas cumprimos a tarefa relativamente bem. Uma pessoa que não tem a capacidade maior do que dez ciclos por grau pode ser considerada praticamente cega, mas um inseto que reconhece um só já  se pode considerar sortudo.

Comparações

A maior ave de rapina australiana, a águia-audaz, consegue identificar incríveis 140 ciclos por grau, precisão suficiente para encontrar um coelho enquanto voa. Gatos e cães conseguem ver apenas 10, mas o diferencial dos felinos é que possuem uma perceção muito boa de cores e luzes, favorecendo a visão no escuro. Por sua vez, pequenos camarões, comuns em aquários, veem apenas 0,1.

Após a compilação dos dados, os mesmos foram analisados num software chamado AcuityView, desenvolvido pela própria investigadora. O programa utiliza uma foto como referência e simula como seria a visão de cada espécie, baseado nas medidas de ciclos por grau. Quanto menores os valores, menos percetíveis ficam as imagens.

Os resultados mostram, por exemplo, que um pássaro consegue identificar uma teia de aranha a tempo de se desviar durante o voo, ao contrário de uma mosca, que acaba por cair na armadilha. Na imagem abaixo, à esquerda, está representado como uma ave vê uma borboleta, e, à direita, como elas se veem umas às outras.

Apesar de ilustrativas, as imagens não correspondem exatamente à forma como os estímulos são interpretados pelos animais. Segundo Caves, existem influências que afetam esse processo. Para nós, esse nível de visão pode ser totalmente inútil, mas a cientista explica que “o software mostra quais informações é que estão disponíveis. Se a precisão é insuficiente para identificar algum detalhe, provavelmente é algo com que o cérebro não terá capacidade de lidar”.

Marcações: Ciência, Tecnologia, Animais, Cães, Visão, Cientista

0
0
0
s2sdefault

Últimas Notícias

  • Sexta-Feira Santa: O dia do silêncio

    Sexta-Feira Santa: O dia do silêncio

    A celebração de Sexta-Feira Santa é a mais original de todas as da Liturgia romana: Não há eucaristia. O silêncio, o jejum, a oração, as devoções tradicionais, sobretudo as que ajudam a meditar e orar o mistério da cruz, elemento central deste dia ... 

  • Quinta-Feira Santa: A melhor lição de Jesus

    Quinta-Feira Santa: A melhor lição de Jesus

    Com a missa da Ceia do Senhor começa o Tríduo Pascal da morte, sepultura e ressurreição do Senhor. São João dá-nos a chave de tudo o que vivemos: "Amou-nos até ao extremo". 

  • Nos passos de Jesus: A fome no mundo

    Nos passos de Jesus: A fome no mundo

    A nossa proposta de reflexão de hoje centra-se nas milhares de pessoas que passam fome no mundo. Hoje propomos-te os números da fome no mundo. O que podemos nós fazer para inverter esta situação? 

  • O meu pai é o melhor do mundo!

    O meu pai é o melhor do mundo!

    É a maior frase feita do mundo, já sabemos. Infelizmente, contudo, nem toda a gente tem a felicidade de ter um pai tão fixe como os nossos. É por isso que hoje decidimos agradecer a todos os pais fixes do mundo. 

  • Como lidar com

    Como lidar com "bullies"?

    Se estás a ser vítima de "bullying", há muito que podes fazer. Enquanto táticas diferentes funcionam para pessoas diferentes, lembra-te que nunca estás sozinho.

  • Nos passos de Jesus: A vida no Hospital

    Nos passos de Jesus: A vida no Hospital

    Nos hospitais também há crianças e adolescentes. Os acidentes ou as doenças não escolhem idades. Vale a pena dialogar acerca do que é a vida no hospital.

  • Imigrantes: o que posso aprender com eles?

    Imigrantes: o que posso aprender com eles?

    Portugal tem sido um país de acolhimento de variadas culturas. Motivações económicas e políticas são as principais causas para muitas pessoas largarem aquilo que conhecem como casa, como lar. O que podemos aprender com estas histórias de vida?

  • 5 factos sobre o Dia Internacional da Mulher

    5 factos sobre o Dia Internacional da Mulher

    Há mais de 100 anos que o dia 8 de março ficou conhecido como o Dia Internacional da Mulher. Ainda que tenha diferentes significados em vários pontos do globo, hoje é preciso fazer mais do que publicar uma foto com uma hashtag catita.

  • Nos passos de Jesus: perseguidos pela fé

    Nos passos de Jesus: perseguidos pela fé

    Segundo o relatório sobre a Liberdade Religiosa no mundo, a Fundação da Ajuda à Igreja que Sofre (AIS), 20% dos países do mundo não respeitam a liberdade religiosa.

  • O meu amigo está a experimentar drogas, o que posso fazer?

    O meu amigo está a experimentar drogas, o que posso fazer?

    Hoje a nossa proposta de reflexão é a da liberdade dos vícios. São situações muito difíceis de gerir e às quais temos de ter um grande nível de empatia e compreensão. 

  • Sábado Santo: O dia do

    Sábado Santo: O dia do "nada"

    A celebração de Sábado Santo consiste em não ter celebrações. 

  • Nos passos de Jesus: O que posso fazer pelos refugiados?

    Nos passos de Jesus: O que posso fazer pelos refugiados?

    Segundo dados do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados, no final de 2017, estavam deslocadas contra a sua vontade 68,5 milhões de pessoas em todo o mundo, em resultado de guerras, conflitos armados ou violação dos direitos humanos.