O que podemos aprender com o passado?

0
0
1
s2smodern

O passado é prólogo, já dizia William Shakespeare. Para Shakespeare, o passado é a introdução às nossas vidas atuais, preparando-nos para o evento principal bem à nossa frente. Mas não será isso muita pressão?

O passado é um conceito complexo, cheio de coisas que aconteceram connosco e que escolhemos, lugares nos quais nos encontramos e lugares para onde fomos, pessoas que entraram nas nossas vidas e pessoas para as quais apenas gravitamos. O passado está cheio de altos e baixos, sucessos e fracassos, sonhos cumpridos e corações partidos.

Para vivermos bem no presente temos de ser sensatos com o passado. E isso não é fácil. A ditadura do tempo, que nos obriga sempre a pensar com antecipação, está sempre presente e estamos propensos a não olhar para trás.

Mas a sábia abordagem ao passado começa com uma questão profundamente importante: Do que é que sou feito?

O que é que te ajudou formares-te na pessoa que és hoje?

É uma pergunta perigosa às vezes. Alguns sofreram traumas graves no passado e precisam de uma boa ajuda profissional. Mas muitos têm uma perspetiva doentia em relação ao passado sem essa dor anterior. Essas “posturas” doentias para o passado podem facilmente atrapalhar a nossa capacidade de crescer e aprender.

A primeira postura doentia é viver no passado. Podemos ficar presos lá, nas memórias onde as coisas não correram muito bem, onde as oportunidades foram desperdiçadas. Alguns também insistem na ideia de no passado tudo era melhor - um desejo excessivamente nostálgico pelo que era (ou a ideia daquilo que era).

Quando vivemos no passado, lutamos para viver no presente. É difícil estar contente com o que existe quando estamos obcecados com o que existia.

Então se a tarefa de desligar do passado é árdua, é importante perguntarmo-nos:

O que preciso fazer para seguir em frente?

A segunda postura doentia é negligenciar o passado. Com esta perspetiva, o passado não é um prólogo como diz Shakespeare. É uma história irrelevante, algo para ser descartado e esquecido. É um mecanismo de fuga à dor, ao embaraço ou à vergonha do nosso passado.

Quando nos esquecemos do passado, estamos propensos a repetir os mesmos erros, não crescer e amadurecer. O passado é um professor poderoso, podemos crescer e aprender de maneira profunda a partir da boa reflexão sobre o que aconteceu.

Se negligenciar o passado é uma luta, importa saber responder ao seguinte:

Que lição retenho do meu passado para abordar o futuro com mais sabedoria?

Então, em certo sentido, Shakespeare tem alguma razão. O passado é prólogo. No entanto, há uma distinção subtil, mas importante, entre o passado que nos define e o passado que nos molda. O passado ​​pode moldar-nos, mas não nos define. Nós deixamos que o passado nos defina quando vivemos no passado. Ironicamente, também deixamos que o passado nos defina quando o negligenciamos.

Deixamos que o passado nos molde de maneira saudável quando abandonamos o que nos retém e refletimos sobre o que determinado acontecimento nos pôde ensinar. O nosso passado ​​está cheio de momentos incríveis, de momentos menos bons e outros assim-assim. Não podemos apegar-nos demasiado ao passado, mas ele pode ensinar-nos algo.

Uma das maneiras mais úteis de retirar lições do passado é fazeres uma cronologia da tua vida. Estilo daquelas dos manuais de história. Noutras palavras, representa visualmente os eventos mais importantes da tua vida num papel. Podes usar fotografias, desenhos, palavras que definam esses momentos. Organiza-os da maneira que te parecer mais apropriado. 

Enquanto organizas, pensa nos elementos comuns e quotidianos do passado que vêm à tua mente e coloca-os na linha do tempo. Pode ser o piano onde treinavas antes das aulas, a música que dava na rádio. A igreja à qual costumavas ir todos os domingos. Pode ser noite de pizza em família até.

Quando a tua linha do tempo estiver completa, pergunta a ti mesmo:

O que é que neste papel está a prender-me? O que é que eu preciso "deixar ir"?
O que é que neste papel é uma oportunidade para aprender? Qual a lição que retiro para a minha vida?

O passado pode ser um prólogo. Mas mais ainda é um professor. Uma excelente ajuda para saberes onde vais é saber onde estiveste.

Marcações: Valores, futuro, Adolescentes, Tempo, Caminho, Adolescência, Passado, Lições

0
0
1
s2smodern

Últimas Notícias

  • Filmes que Desafiam:

    Filmes que Desafiam: "Super Size Me"

    Durante um mês, numa tentativa de conhecer os danos causados pela fast-food, o realizador Morgan Spurlock só comeu apenas comida de um sítio: McDonald's.

  • Sínodo sobre os jovens - Vaticano apresenta guião de trabalho

    Sínodo sobre os jovens - Vaticano apresenta guião de trabalho

    Depois do questinário lançado online, surge hoje um documento de trabalho que reflete a realidade das respostas ao documento lançado pelo Vaticano. 

  • Mundial 2018 - A festa mexicana que fez a Terra tremer (literalmente) !

    Mundial 2018 - A festa mexicana que fez a Terra tremer (literalmente) !

    Quando se diz que o futebol mexe com as pessoas, não estamos a brincar: a comemoração do golo da seleção mexicana sobre a alemã, neste domingo (17), na estreia de ambas no Mundial, causou um mini-terremoto na Cidade do México!

  • Como é que os animais veem o mundo?

    Como é que os animais veem o mundo?

    Apesar da importância de todos os cinco sentidos, a visão tem um papel predominante. Mesmo que os animais, em geral, utilizem outras formas de interagir com o mundo, sempre fica a pergunta sobre como veem eles o mundo.

  • "Dumbo" - mais um filme Disney para veres este ano

    Há quem ache que a Disney não está a trazer nada de novo com as versões live-action de clássicos. Mas essas pessoas não são fixes.

  • Diabetes – Uma vida normal

    Diabetes – Uma vida normal

    “Não posso comer mais bolos senão ainda fico com Diabetes”. Provavelmente já ouviste esta frase antes e já sabes que a Diabetes é uma doença que faz com que os níveis de açúcar do sangue (glicémia) estejam acima do valor normal. 

  • Para lá da música:

    Para lá da música: "The Greatest Gift" de Sufjan Stevens

    Já passou quase meio ano desde que Stevens lançou The Greatest Gift. Um álbum que, à primeira vista, parecia um simples remake do seu grande trabalho Carrie & Lowell (2015), mas que trazia pelo meio algumas “pérolas” originais. Um desses originais é precisamente este The Greatest Gift, que dá nome ao álbum.

  • Viajar até Vénus? A NASA mostra!

    Viajar até Vénus? A NASA mostra!

    Marte tem sido o principal assunto quando se fala em exploração espacial. Apesar da distância, este planeta possui condições muito mais favoráveis do que Vénus, o que facilita o envio de sondas — e possivelmente até seres humanos, num futuro não tão distante.

  • 10 passos para estabelecer objetivos

    10 passos para estabelecer objetivos

    Alguém disse: “Se não sabes para onde vais, podes ir ter a qualquer outro sítio”. Os objetivos ajudam-nos a chegar onde queremos, a fazer o que queremos e a ser o que queremos. Estabelecer objetivos é uma das artes mais importantes para ser feliz. 

  • No século XXI, há um novo idioma no mundo

    No século XXI, há um novo idioma no mundo

    Um novo idioma foi recentemente descoberto na região da Malásia, chamado "Jedek". Falado por apenas cerca de 280 pessoas no mundo, foi documentado pelos linguistas Niclas Burenhult e Joanne Yager, da Universidade Lund, na Suécia, após uma vasta pesquisa de campo realizada na região peninsular que fica no norte do país.

  • Histórias para Crescer: O elefante e os cegos

    Histórias para Crescer: O elefante e os cegos

    Diz a lenda que numa cidade da Índia viviam sete sábios cegos. Como eram excelentes a aconselhar, todas as pessoas recorriam à sua ajuda quando tinham problemas. Apesar de serem amigos, havia uma certa rivalidade entre eles e discutiam frequentemente sobre quem seria o mais sábio.

  • Filmes que Desafiam:

    Filmes que Desafiam: "Selma"

    Esta semana recomendamos um filme que conta a história de Martin Luther King Jr.