Notice: Trying to access array offset on value of type int in /home/www/html/templates/yoo_bento/warp/src/Warp/Config/Repository.php on line 243

Notice: Trying to access array offset on value of type int in /home/www/html/templates/yoo_bento/warp/src/Warp/Config/Repository.php on line 243

Notice: Trying to access array offset on value of type int in /home/www/html/templates/yoo_bento/warp/src/Warp/Config/Repository.php on line 243

Notice: Trying to access array offset on value of type int in /home/www/html/templates/yoo_bento/warp/src/Warp/Config/Repository.php on line 243

O que acontece ao nosso corpo com o exercício físico?

0
0
0
s2sdefault

Novo ano…novos hábitos. É agora é que vou ficar em forma! 'bora para o ginásio!! Se não pensaste assim no início deste ano 2018 quase de certeza que ouviste falar na televisão sobre este assunto.

É engraçado ver como todos os anos isto se repete porque este é um desejo de muitas pessoas: começar uma vida mais saudável. No entanto é fácil durante o ano cair na rotina das mil-e-uma-coisas que temos para fazer e deixar o exercício físico de lado. E assim esperamos que o ano seguinte seja melhor que o anterior.

Mas porquê este desejo? Qual é a importância do exercício físico?

Em primeiro lugar gostava de te lembrar que o nosso corpo para funcionar precisa de energia. Essa energia, a que chamamos calorias, é obtida dos alimentos e serve para que as nossas células possam trabalhar. No entanto, se ingerirmos calorias a mais, o nosso corpo guarda essa energia porque tem medo de não ter acesso à mesma noutra altura. (É um mecanismo de defesa que ficou nos nossos genes desde a altura em que não havia tanta comida à disposição como temos agora).

Assim sendo, como armazenamos essa energia? Em gordura! E essa gordura vai-se acumulando nas várias células do nosso organismo (não é só na barriga, apesar de ser o que mais facilmente vemos).

Muito bem, então qual é mesmo a importância do exercício físico? Por um lado, como todos sabemos, serve para gastar essa energia que consumimos a mais. No entanto faz ainda outras coisas ao corpo:

1. Diminui o peso – Esta é a primeira coisa que nos vem à cabeça quando pensamos em exercício físico. Contudo, o mais importante deste ponto é o facto de conseguirmos, desta maneira, reduzir ou evitar algumas doenças e problemas de saúde ao mantermos um peso adequado à nossa altura (ex: obesidade, diabetes, dores nos joelhos, problemas na coluna).

2. Melhora as funções do coração – Não só ficas com uma resistência melhor para as atividades do dia-a-dia como ficas com um coração mais saudável e que pode durar mais anos.

3. Melhora os vasos sanguíneos É verdade, as gorduras que ingerimos em excesso também se acumulam nos nossos vasos, o que é muito perigoso. No entanto, o exercício físico ajuda a limpá-los e a retirar estas gorduras.

4. Melhora a funcionalidade, ou seja, a nossa capacidade de fazer as várias tarefas do dia-a-dia – Este é um aspeto positivo principalmente para as pessoas mais velhas e que começa já nos adultos, como os nossos pais, porque vão perdendo alguma das suas habilidades. (Seria um bom conselho dizeres-lhes para se manterem ativos fisicamente!). Contudo é importante também para ti! Talvez estejas a pensar quando for mais velho logo me preocupo com isso, no entanto pondera bem: Não carregas o telemóvel quando vais estar fora de casa muito tempo? Sabes que poderias ficar sem bateria e isso seria muito chato. Pode até não te apetecer pôr já o telemóvel a carregar mas vais fazê-lo para depois puderes usá-lo sem problemas. O exercício é a tua preparação para o futuro. Ou carregas antes o corpo ou depois podes não conseguir tirar um bom partido dele.

5. Aumenta a produção de novos neurónios – Esta é provavelmente uma das coisas que te pode interessar mais. Está provado que fazer exercício físico ajuda a aumentar a produção de novos neurónios. Isto significa que assim terás a possibilidade de manter um cérebro mais jovem e ativo.

São muitos os aspetos positivos que o exercício te pode trazer e se pensares bem só depende de ti alcançá-los. Aliás, se tivesses um carro muito muito bom, o que fazias com ele? Compravas uma garagem e deixavas o carro lá guardado para não se estragar? Ou ias aproveitá-lo já que o compraste? Faz o mesmo com o teu corpo: tens muitos músculos, são teus… não os guardes! Usa-os e aproveita os benefícios que isso te pode trazer!

Não é preciso inscreveres-te num ginásio nem fazeres todos os dias 2 horas de exercício físico. Aliás, o que está aconselhado são cerca de 30 minutos diários e há muitas atividades diferentes que podes fazer.

Pensa bem, se fores a uma festa vais querer pentear-te e vestir bem para estares com bom aspeto... Então lembra-te que a vida é uma constante festa, mas para a viveres bem tens de cuidar do teu aspeto por dentro, ou seja, da tua saúde!

Marcações: Crescer, Saúde , Exercício, Adolescentes, Corpo Humano , Coração, Doenças, Sangue

0
0
0
s2sdefault

Últimas Notícias

  • Sexta-Feira Santa: O dia do silêncio

    Sexta-Feira Santa: O dia do silêncio

    A celebração de Sexta-Feira Santa é a mais original de todas as da Liturgia romana: Não há eucaristia. O silêncio, o jejum, a oração, as devoções tradicionais, sobretudo as que ajudam a meditar e orar o mistério da cruz, elemento central deste dia ... 

  • Quinta-Feira Santa: A melhor lição de Jesus

    Quinta-Feira Santa: A melhor lição de Jesus

    Com a missa da Ceia do Senhor começa o Tríduo Pascal da morte, sepultura e ressurreição do Senhor. São João dá-nos a chave de tudo o que vivemos: "Amou-nos até ao extremo". 

  • Nos passos de Jesus: A fome no mundo

    Nos passos de Jesus: A fome no mundo

    A nossa proposta de reflexão de hoje centra-se nas milhares de pessoas que passam fome no mundo. Hoje propomos-te os números da fome no mundo. O que podemos nós fazer para inverter esta situação? 

  • O meu pai é o melhor do mundo!

    O meu pai é o melhor do mundo!

    É a maior frase feita do mundo, já sabemos. Infelizmente, contudo, nem toda a gente tem a felicidade de ter um pai tão fixe como os nossos. É por isso que hoje decidimos agradecer a todos os pais fixes do mundo. 

  • Como lidar com

    Como lidar com "bullies"?

    Se estás a ser vítima de "bullying", há muito que podes fazer. Enquanto táticas diferentes funcionam para pessoas diferentes, lembra-te que nunca estás sozinho.

  • Nos passos de Jesus: A vida no Hospital

    Nos passos de Jesus: A vida no Hospital

    Nos hospitais também há crianças e adolescentes. Os acidentes ou as doenças não escolhem idades. Vale a pena dialogar acerca do que é a vida no hospital.

  • Imigrantes: o que posso aprender com eles?

    Imigrantes: o que posso aprender com eles?

    Portugal tem sido um país de acolhimento de variadas culturas. Motivações económicas e políticas são as principais causas para muitas pessoas largarem aquilo que conhecem como casa, como lar. O que podemos aprender com estas histórias de vida?

  • 5 factos sobre o Dia Internacional da Mulher

    5 factos sobre o Dia Internacional da Mulher

    Há mais de 100 anos que o dia 8 de março ficou conhecido como o Dia Internacional da Mulher. Ainda que tenha diferentes significados em vários pontos do globo, hoje é preciso fazer mais do que publicar uma foto com uma hashtag catita.

  • Nos passos de Jesus: perseguidos pela fé

    Nos passos de Jesus: perseguidos pela fé

    Segundo o relatório sobre a Liberdade Religiosa no mundo, a Fundação da Ajuda à Igreja que Sofre (AIS), 20% dos países do mundo não respeitam a liberdade religiosa.

  • O meu amigo está a experimentar drogas, o que posso fazer?

    O meu amigo está a experimentar drogas, o que posso fazer?

    Hoje a nossa proposta de reflexão é a da liberdade dos vícios. São situações muito difíceis de gerir e às quais temos de ter um grande nível de empatia e compreensão. 

  • Sábado Santo: O dia do

    Sábado Santo: O dia do "nada"

    A celebração de Sábado Santo consiste em não ter celebrações. 

  • Nos passos de Jesus: O que posso fazer pelos refugiados?

    Nos passos de Jesus: O que posso fazer pelos refugiados?

    Segundo dados do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados, no final de 2017, estavam deslocadas contra a sua vontade 68,5 milhões de pessoas em todo o mundo, em resultado de guerras, conflitos armados ou violação dos direitos humanos.