Fala-me Direito: O Direito a ter um nome

0
0
1
s2smodern

Todos nós temos direito a ter um nome. Quando nascemos, devemos ser imediatamente registados, é uma obrigação dos nossos pais informar o nosso nome, sobrenome e data de nascimento. E porque é que isto é importante?

O registo significa que passamos a ser reconhecidos pelo Estado, que existimos formalmente e que podemos ser protegidos pela Lei. Além de, normalmente, o nosso nome nos permitir conhecer as nossas relações de parentesco e os nossos pais biológicos, isto também permite que sejamos reconhecidos, não só no nosso país, mas também no resto do Mundo.

Se não tivéssemos nome, corríamos o risco de ser excluídos da sociedade! Não íamos poder ter acesso aos serviços mais básicos como a nossa educação e saúde. Basicamente seria como se fôssemos invisíveis para o Estado e para a sociedade, por isso é que é um direito reconhecido a todas as crianças. No artigo 7º da Convenção sobre os Direitos da Criança pode ler-se: A criança é registada imediatamente após o nascimento e tem desde o nascimento o direito a um nome, o direito a adquirir uma nacionalidade e, sempre que possível, o direito de conhecer os seus pais e de ser educada por eles.

E quem é que vai escolher o nosso nome?

A escolha do nosso nome pertence aos pais em conjunto, mas se eles não estiverem em acordo é o Juiz que vai escolher. E esta escolha tem algumas regras, por exemplo:
- Os nomes próprios, que são os primeiros dois, devem ser portugueses ou fazer parte do catálogo de nomes que é permitido em Portugal ou então adaptados à nossa língua;
- O nome próprio deve permitir identificar logo se somos um rapaz ou rapariga;
- Não se pode dar o mesmo nome próprio aos irmãos, a não ser que um deles tenha falecido;
- Em relação aos apelidos, são eles que demonstram a nossa ligação à família. Por isso, vão ser escolhidos conforme os apelidos dos nossos pais ou apelidos a que eles tenham direito. Por exemplo, até podes vir a ter um apelido do teu avô, mesmo que os teus pais não o tenham no nome, porque eles têm direito a usá-lo.

Mas eu não gosto do meu nome. Posso mudar?

O nome é um elemento essencial de cada ser humano, que nos permite distinguir uns dos outros e em princípio não pode ser mudado, apenas em alguns casos muito restritos. Por exemplo, no casamento tanto o marido como a mulher podem ficar com os apelidos do outro e se um deles falecer pode depois tirar esse nome. Outra das situações em que se permite fazer essa alteração é no caso da mudança de sexo, ou seja, se uma mulher mudar de sexo para ser um homem, pode modificar o seu nome para ele coincidir com o seu género. Fora destes casos, só através de um processo especial na Conservatória!

Marcações: Escola, Direitos, Crescer, Mudar, Direito, Advogado, Nome

0
0
1
s2smodern

Últimas Notícias

  • Como serão os raios-x de animais?

    Como serão os raios-x de animais?

    As imagens que vais ver a seguir consistem em radiografias que foram feitas pelo pessoal do Jardim Zoológico de Oregon, nos EUA, como parte dos exames de rotina aos animais que lá vivem. Como podes comprovar abaixo, além de reveladores — do ponto de vista científico e veterinário —, as imagens são mesmo fascinantes. 

  • 4 Filmes para veres a 2,50 euros na Festa do Cinema

    4 Filmes para veres a 2,50 euros na Festa do Cinema

    A Festa do Cinema decorre até ao dia 24 de outubro (quarta-feira), com mais de 10 mil sessões em todo o país. Parece muito? Não sabes por onde começar? Nós damos uma ajuda. 

  • Pawel Kuczynski: Ilustrações que desafiam

    Pawel Kuczynski: Ilustrações que desafiam

    As contradições da vida moderna encontram na obra de Pawel Kuczynski um lugar de destaque. Os temas que o artista aborda nos seus desenhos giram em torno da relação da humanidade com o mundo que a cerca — desde o vício das redes sociais às estratégias da TV para fisgar a audiência. 

  • 15 Factos matemáticos divertidos

    15 Factos matemáticos divertidos

    Quem disse que a Matemática é uma seca, não leu este artigo!

  • Filmes que Desafiam:

    Filmes que Desafiam: "Capitão Fantástico"

    O filme desta semana fala-nos da importância da família e da importância que as coisas simples tem na nossa vida. 

  • Sans Forgetica: o novo tipo de letra que ajuda a memorizar o que escreves

    Sans Forgetica: o novo tipo de letra que ajuda a memorizar o que escreves

    Um grupo de investigadores da Universidade de RMIT, na Austrália, criou um tipo de letra – a Sans Forgetica, e garante que a mesma é capaz de aumentar a capacidade de memorização.

  • Quem é que inventou os TPC? São mesmo precisos?

    Quem é que inventou os TPC? São mesmo precisos?

    Não adianta negar: um dos maiores pesadelos dos alunos são os trabalhos de casa. Muitas vezes questionam-se porque é que devem estudar ainda mais do que já estudam na escola, e ainda que esses questionamentos deem lugar à aceitação (ou quase) na adolescência e na fase adulta, a verdade é que sempre temos que rever em casa o conteúdo lecionado durante o dia.

  • As marcas mais poderosas do mundo

    As marcas mais poderosas do mundo

    A Interbrand é uma importante consultora de marcas e todos os anos avalia as marcas mais poderosas. Já é conhecida a lista deste ano, sabes quais são?

  • Porquê adotar um cão?

    Porquê adotar um cão?

    São cada vez mais os adeptos da adoção de cães em vez de compra. Para além de "salvar" a vida do companheiro de 4 patas, o custo é irrisório quando comparado aos preços praticados por lojas de animais. 

  • Escuta, Arrisca e ... Simpatiza!

    Escuta, Arrisca e ... Simpatiza!

    O Evangelho desta semana conta-nos uma história que te deve ser conhecida.

  • #respectbattles - a música como

    #respectbattles - a música como "arma" do respeito

    Podemos não concordar com os pontos de vistam, com as opções de vida que algumas pessoas ao nosso redor tomam. Mas se há algo que é obrigatório (e que vemos a desvanecer-se aos poucos) é o respeito pelo outro. A APAV não ficou indiferente e criou uma campanha original.

  • Os padrões de beleza ao longo do tempo

    Os padrões de beleza ao longo do tempo

    Se há algo muito debatido nos dias de hoje, são as regras de beleza, às quais muitos tentam corresponder. Mas sabias que nem sempre foi assim?