"Fala-me Direito": O trabalho artístico infantil

0
0
1
s2smodern

Quantas vezes ligamos a televisão e vemos crianças a trabalhar como atores, a trabalhar em novelas, por exemplo, ou a fazer anúncios publicitários?

 

Em Portugal este tipo de trabalho só pode ser praticado em determinadas condições, há uma restrição quanto à idade e também quanto à actividade, ou seja, nada de trabalhos perigosos. Também os horários de trabalho variam consoante a idade da criança ou adolescente.

Sabias que, por exemplo, o Código que regula a Publicidade (sim, isso existe) diz que as crianças apenas podem fazer publicidade a alguma coisa que esteja diretamente relacionada com elas? Pois, não tem sido muito cumprido, pois não? 

É verdade que existem algumas vantagens que atraem os mais jovens para este mundo artístico (quem nunca sonhou com isso?) como a promessa de um bom futuro, o reconhecimento público e os salários elevados. Além disso pode ajudar a que estas crianças tenham uma maior autoconfiança, criem laços de amizade e adquiram competências que podem vir a ser importantes no futuro.

Mas, atenção!

A Declaração dos Direitos da Criança diz que a criança não deverá ser admitida ao emprego antes de uma idade mínima adequada, e em caso algum será permitido que se dedique a uma ocupação ou emprego que possa prejudicar a sua saúde e impedir o seu desenvolvimento físico, mental e moral.

A fase em que te encontras é a de aprender e descobrir o mundo. Estudar e trabalhar ao mesmo tempo pode afectar o vosso crescimento e podem surgir até situações ainda mais complicadas. A exploração, o abandono escolar, o stress e falta de tempo com a família e amigos. Existe o ritmo de trabalho que pode ser intenso, a falta de preparação dos jovens para o reconhecimento público, a vergonha, a falta de aprovação, pensamentos negativos e insegurança e a restrição de liberdade pelas condições impostas no trabalho.

E percebemos que o mundo artístico não é assim tão apelativo.

Os mais novos podem trabalhar no mundo artístico sim, mas também devem aproveitar a fase em que se encontram sem serem sobrecarregados, pressionados ou mesmo transformados num objeto de publicidade.

Marcações: Direitos, Educação, Atores, Direito, Advogado, Publicidade, Artes

0
0
1
s2smodern

Últimas Notícias