Notice: Trying to access array offset on value of type int in /home/www/html/templates/yoo_bento/warp/src/Warp/Config/Repository.php on line 243

Notice: Trying to access array offset on value of type int in /home/www/html/templates/yoo_bento/warp/src/Warp/Config/Repository.php on line 243

Notice: Trying to access array offset on value of type int in /home/www/html/templates/yoo_bento/warp/src/Warp/Config/Repository.php on line 243

Notice: Trying to access array offset on value of type int in /home/www/html/templates/yoo_bento/warp/src/Warp/Config/Repository.php on line 243

A gripe - mais vale vacinar do que remediar!

0
0
0
s2sdefault

Ainda agora começou o tempo mais frio e de certeza que já ouviste falar várias vezes do vírus da gripe e da importância da vacinação. 

Segundo a Direção Geral da Saúde (a equipa responsável por regular a Saúde em Portugal) já foram ministradas 1.1 milhões de vacinas contra a gripe só desde 1 de Outubro. Este é um número tão grande que provavelmente não o consegues imaginar. Para te ajudar, pensa que, se somos 10 milhões de pessoas em Portugal, então significa que em cada 10 pessoas, há uma que está vacinada! São realmente muitas pessoas… mas porquê esta preocupação? Haverá necessidade?

Este ano espera-se que o vírus da gripe seja o Influenza A(H3). O que é que isto significa? O vírus Influenza, responsável pela gripe, tem duas estirpes diferentes, ou seja, dois tipos diferentes: o A e o B. Para além deste nome, ao vírus Influenza A podemos ainda acrescentar-lhe mais duas letras e dois números, como já deves ter visto noutros casos: Influenza A H5N1 (vírus da gripe das aves) e o Influenza A H1N1 (que causou a gripe suína). Estas duas letras correspondem apenas a dois marcadores que os vírus têm na sua superfície e que por um lado lhes permitem infetar as nossas células, enquanto por outro permite-nos a nós distingui-los uns dos outros. É o aspecto deles e que nós conseguimos diferenciar. Então qual a importância da vacina este ano?

O vírus Influenza A (H3) está normalmente associado a uma maior capacidade de infectar as pessoas e quando o faz provoca habitualmente uma doença mais grave. Assim sendo, a preocupação é evitar que as pessoas sejam infectadas para não virem a ter uma doença grave e para isso a forma mais eficaz é a vacinação.

Por outro lado, já deves ter ouvido também algumas pessoas dizer que não tomam a vacina porque esta pode fazer com que apanhem gripe. No entanto, esta vacina tem o vírus inacivado, ou seja, é como se lhe tivesses tirado a bateria e não tivesse energia. O teu corpo vê e deteta-o e, por isso, pode, numa fase inicial, reagir de uma forma que pareça que tiveste gripe por causa da vacina Mas na verdade não tens uma verdadeira infecção porque o vírus está desligado. Assim sendo, o que acontece é que o teu organismo cria as defesas necessárias para atacar este vírus sem ser verdadeiramente infectado por ele. Deste modo, se mais tarde houver um vírus do mesmo tipo a tentar infectar o teu corpo, não conseguirá fazê-lo porque já tens as defesas preparadas para o eliminar. O corpo já está à espera do vírus!

gripe

Imagem: DGS

Tudo isto faz sentido mas deves estar a pensar porque é que então tem de se tomar a vacina todos os anos?

Bem, isso também é simples. Há duas razões: a primeira é porque as defesas do organismo vão desaparecendo se não forem precisas, ou seja, se não houver um vírus a infectar o corpo, ele deixa de estar preparado para se defender. Isto é o que normalmente acontece durante os meses mais quentes do ano em que o vírus Influenza tem mais dificuldade em sobreviver e, por isso, afeta menos as pessoas. A segunda razão é porque estes vírus sofrem mutações com facilidade, ou seja, os vírus conseguem facilmente modificar o seu aspeto, deixando por isso de ser reconhecidos pelo nosso organismo. Na verdade os novos vírus são apenas ligeiramente diferentes, mas isso é suficiente para não serem totalmente reconhecidos pelas nossas defesas. Daí a importância de tomarmos a vacina, para o corpo se preparar para estes novos vírus que ainda não conhece.

De qualquer forma, a vacina não está aconselhada para todas as pessoas. Todos podemos tomá-la mas esta é mais aconselhada para as pessoas com mais fragilidades, como os idosos e as pessoas com doenças crónicas, nas quais a infeção pode provocar complicações graves, para os profissionais de saúde, que contactam directamente com estes vírus, e para as grávidas, pelos riscos que podem existir para os seus bebés.

Deixamos-te agora os principais sintomas associados à gripe para que saibas o que pode ter uma pessoa que esteja doente. Não te esqueças que se alguém estiver com estes sintomas deve ser avaliado por um profissional de saúde porque estas informações não são suficientes para fazer o diagnóstico:

  • Febre;
  • Dor de cabeça (cefaleias);
  • Dor muscular (mialgias);
  • Dor de garganta.

Para finalizar, ficam também alguns conselhos para se tiveres doente ou com estes sintomas:

  • Sempre que tossires ou espirrares coloca o teu braço (não a tua mão!) a tapar;
  • Lava frequentemente as mãos com água e sabão, principalmente depois de tossir e espirrar;
  • Evita estar muito perto das outras pessoas para não lhes transmitires o vírus;
  • Antes de recorreres ao médico podes ligar à saúde 24 para que te aconselhem o que fazer ou a que centro de saúde/hospital deves recorrer.

Marcações: Saúde , Doenças, Vacina, Gripe, Médicos

0
0
0
s2sdefault

Últimas Notícias

  • Sexta-Feira Santa: O dia do silêncio

    Sexta-Feira Santa: O dia do silêncio

    A celebração de Sexta-Feira Santa é a mais original de todas as da Liturgia romana: Não há eucaristia. O silêncio, o jejum, a oração, as devoções tradicionais, sobretudo as que ajudam a meditar e orar o mistério da cruz, elemento central deste dia ... 

  • Quinta-Feira Santa: A melhor lição de Jesus

    Quinta-Feira Santa: A melhor lição de Jesus

    Com a missa da Ceia do Senhor começa o Tríduo Pascal da morte, sepultura e ressurreição do Senhor. São João dá-nos a chave de tudo o que vivemos: "Amou-nos até ao extremo". 

  • Nos passos de Jesus: A fome no mundo

    Nos passos de Jesus: A fome no mundo

    A nossa proposta de reflexão de hoje centra-se nas milhares de pessoas que passam fome no mundo. Hoje propomos-te os números da fome no mundo. O que podemos nós fazer para inverter esta situação? 

  • O meu pai é o melhor do mundo!

    O meu pai é o melhor do mundo!

    É a maior frase feita do mundo, já sabemos. Infelizmente, contudo, nem toda a gente tem a felicidade de ter um pai tão fixe como os nossos. É por isso que hoje decidimos agradecer a todos os pais fixes do mundo. 

  • Como lidar com

    Como lidar com "bullies"?

    Se estás a ser vítima de "bullying", há muito que podes fazer. Enquanto táticas diferentes funcionam para pessoas diferentes, lembra-te que nunca estás sozinho.

  • Nos passos de Jesus: A vida no Hospital

    Nos passos de Jesus: A vida no Hospital

    Nos hospitais também há crianças e adolescentes. Os acidentes ou as doenças não escolhem idades. Vale a pena dialogar acerca do que é a vida no hospital.

  • Imigrantes: o que posso aprender com eles?

    Imigrantes: o que posso aprender com eles?

    Portugal tem sido um país de acolhimento de variadas culturas. Motivações económicas e políticas são as principais causas para muitas pessoas largarem aquilo que conhecem como casa, como lar. O que podemos aprender com estas histórias de vida?

  • 5 factos sobre o Dia Internacional da Mulher

    5 factos sobre o Dia Internacional da Mulher

    Há mais de 100 anos que o dia 8 de março ficou conhecido como o Dia Internacional da Mulher. Ainda que tenha diferentes significados em vários pontos do globo, hoje é preciso fazer mais do que publicar uma foto com uma hashtag catita.

  • Nos passos de Jesus: perseguidos pela fé

    Nos passos de Jesus: perseguidos pela fé

    Segundo o relatório sobre a Liberdade Religiosa no mundo, a Fundação da Ajuda à Igreja que Sofre (AIS), 20% dos países do mundo não respeitam a liberdade religiosa.

  • O meu amigo está a experimentar drogas, o que posso fazer?

    O meu amigo está a experimentar drogas, o que posso fazer?

    Hoje a nossa proposta de reflexão é a da liberdade dos vícios. São situações muito difíceis de gerir e às quais temos de ter um grande nível de empatia e compreensão. 

  • Sábado Santo: O dia do

    Sábado Santo: O dia do "nada"

    A celebração de Sábado Santo consiste em não ter celebrações. 

  • Nos passos de Jesus: O que posso fazer pelos refugiados?

    Nos passos de Jesus: O que posso fazer pelos refugiados?

    Segundo dados do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados, no final de 2017, estavam deslocadas contra a sua vontade 68,5 milhões de pessoas em todo o mundo, em resultado de guerras, conflitos armados ou violação dos direitos humanos.