Ninguém é insubstituível… ou nem por isso?

0
0
1
s2smodern

Achas que és insubstituível?

Numa importante reunião, o diretor de uma multinacional, algo descontrolado, fala com os seus gestores. Demonstra nervosismo, agita as mãos, mostra gráficos e, olhando nos olhos de cada um e ameaça: ninguém é insubstituível.

A frase ecoa nas paredes da sala de reuniões, no meio do silêncio. Os gestores entreolham-se, assustados e alguns baixam a cabeça. O silêncio impera! Ninguém ousa dizer nada.

 De repente, alguém levanta o braço e o diretor prepara-se para fuzilar tal atrevimento e questiona rispidamente:

– Alguma pergunta?

– Sim, senhor diretor. E Beethoven ? – questiona um dos gestores.

– Como? O quê? - encara-o o diretor, confuso.

– O senhor disse que ninguém é insubstituível, mas quem substituiu Beethoven?

Fez-se silêncio….

O gestor continua, então: As empresas falam em descobrir talentos, reter talentos, mas, no fundo continuam a considerar os profissionais como peças dentro da organização e que, quando um sai é só colocar outro no seu lugar. Mas quem substituiu:  Beethoven? Tom Jobim? Amália? Ayrton Senna? Ghandi? Frank Sinatra? Elvis Presley? Os Beatles? Pelé? Paul Newman? Tiger Woods? Albert Einstein? Picasso? Fernando Pessoa?

Todos estes talentos marcaram a história, fazendo o que gostam e o que sabem fazer bem, ou seja, fizeram o seu talento brilhar. E, portanto, são sim, insubstituíveis.

Cada ser humano tem a sua contribuição a dar e o seu talento direcionado para alguma coisa.

Está na hora dos líderes das organizações reverem os seus conceitos e começarem a pensar em como desenvolver o talento da sua equipa focando o brilho dos seus pontos fortes e não perder tempo a sublinhar os seus erros ou deficiências.

Se virmos bem, ninguém se recorda nem quer saber se Beethoven era surdo, Picasso instável, Kennedy egocêntrico ou Elvis paranóico… Queremos apenas sentir o prazer produzido pelas sinfonias, obras de arte, discursos memoráveis e melodias inesquecíveis, fruto dos seus talentos.

Cabe aos líderes das organizações mudarem o olhar sobre a equipa e dedicar esforços para descobrir os pontos fortes de cada elemento, fazendo brilhar o talento de cada um, em prol do sucesso dos seus projetos.

Quando o líder, o coordenador ou responsável, ainda está focado em melhorar as fraquezas da sua equipa, corre o risco de ser aquele tipo que barraria Albert Einstein por ter notas baixas na escola ou Beethoven por ser surdo. E nessa gestão, o mundo teria perdido todos esses talentos.

Nesta lógica, estes líderes mudariam o curso natural das coisas: os rios seriam retos, não haveria montanhas, nem lagoas nem cavernas, nem homens nem mulheres, nem chefes nem subordinados . . . apenas peças. 

Pergunta aos teus pais e às pessoas que gostam de ti se és substituível (e já agora eles são substituíveis para ti?)?

Portanto, nunca te esqueças: és um talento único… com toda a certeza ninguém te substituirá!

Nos teus talentos e nas tuas dificuldades, serás sempre único e necessário! E como tu, cada pessoa acrescenta, na sua diversidade, alguma coisa à Humanidade!

Marcações: Contos, Valores, Música, Silêncio, Poltica, Talento, Substituir, Filme

0
0
1
s2smodern

Últimas Notícias

  • Escuta, Arrisca e ... Aventura-te!

    Escuta, Arrisca e ... Aventura-te!

    Depois de ter passado uma noite em oração e de ter escolhido os doze, Jesus encontra agora dois grupos de pessoas: numerosos discípulos e uma grande multidão. A multidão sente-se desorientada e procura Jesus por dois motivos: quer ouvir a sua Palavra e ser curada dos seus males.

  • "Tolkien": Uma viagem pela mente do criador de "O Senhor dos Anéis"

    A pergunta mais velha do mundo que se faz a qualquer mente criativa é: "Como é que surgiu esta ideia?". Pois este ano vamos poder conhecer uma das mais brilhantes mentes do século XX. 

  • Música: porque gostamos tanto dela?

    Música: porque gostamos tanto dela?

    Independentemente do teu estilo musical favorito, com uma coisa podemos concordar: ouvir música faz bem e deixa-nos felizes. Companheira de viagens, caminhadas e, para os mais sortudos, presente também na hora do trabalho, a música é algo que tem a capacidade de melhorar o nosso humor e, inclusive, fazer com que a nossa concentração melhore, mas já te perguntaste como é que isto é possível?

  • Will Smith em tons de azul - o novo trailer de

    Will Smith em tons de azul - o novo trailer de "Aladdin"

    Durante  a cerimónia dos Grammys 2019 foi divulgado um novo trailer do remake do filme "Aladdin" da Disney. 

  • Grammys: a noite em que o rap foi estrela

    Grammys: a noite em que o rap foi estrela

    Ontem à noite decorreu a 61ª edição dos prémios Grammy, que distingue o que de melhor se fez na música no ano que passou.

  • Escuta, Arrisca e ... Confia!

    Escuta, Arrisca e ... Confia!

    No Evangelho deste Domingo, Pedro tem um gesto de confiança: Pela tua palavra, porque és Tu a dizê-lo, para Te dar um prazer, por Ti … lanço as redes.

  • O capitalismo: O que é?

    O capitalismo: O que é?

    Provavelmente já ouviste algumas pessoas falarem sobre esta coisa chamada capitalismo. Se já ouviste os teus pais a reclamar sobre o capitalismo ou algum dos teus professores a abordar este assunto, hoje explicamos-te este tema de uma forma simples. 

  • Dia dos Namorados: 10 canções para dedicar

    Dia dos Namorados: 10 canções para dedicar

    Quer estejas a planear algo especial com o teu namorado(a) ou um jantar com as amigas, aqui vão algumas ideias.

  • Escuta, Arrisca e ... Conhece!

    Escuta, Arrisca e ... Conhece!

    Jesus está no início da sua vida pública. Na sinagoga de Nazaré lê uma citação do profeta Isaías e actualiza-a, aplicando o conteúdo da profecia a si mesmo e à sua missão.

  • A ansiedade nas palavras deles

    A ansiedade nas palavras deles

    Tem sido crescente a atenção dos media para as questões relacionadas com a saúde mental. Também algumas figuras públicas aproveitam o espaço que lhes é dado para falar destas questões e como as ultrapassaram. 

  • Porque é que os casais dão as mãos?

    Porque é que os casais dão as mãos?

    Quer estejas a ver um filme, a caminhar na rua, ou simplesmente dar uma volta, não há nada mais inato do que o ato de dar as mãos. Mas porque é que fazemos isso?  Há algo mais para além do conforto de estar com o teu mais que tudo?

  • O #10YEARCHALLENGE que vale a pena ver!

    O #10YEARCHALLENGE que vale a pena ver!

    Toda a gente nas redes sociais participou no “Desafio dos 10 Anos”, a brincadeira que, basicamente, consiste em partilhar uma foto atual ao lado de uma de há 10 anos atrás para mostrar o quanto ou o quão pouco mudamos ao longo da última década, certo?