Uma generosidade “ilógica”

0
0
1
s2smodern

Este domingo Jesus revela mais uma vez quanto a sua lógica seja diferente da nossa e a supere. Na sua vinha há lugar para todos e todas as horas são boas para começar a trabalhar nela. 

 

DOMINGO XXV DO TEMPO COMUM | Mt 20, 1-16a 

Destaco duas passagens que nos podem ajudar a compreender como a maneira de Jesus ser e fazer é tão diferente da nossa.

O dono da vinha (leia-se Deus Pai) sai 5 vezes a recrutar trabalhadores para a sua vinha. Ao chegar juntos dos trabalhadores do fim da tarde faz-lhes uma pergunta que surpreende:

Porque ficais aqui sentados todo o dia sem trabalhar?

Este “patrão” preocupa-se. Não lhe interessa o lucro mas simplesmente o ajudar. Deus não quer que fiquemos o dia todo sentados na praça da vida sem fazer nada. Quem assim o faz perde a oportunidade de entrar na vinha e de construir uma vida boa, bela e feliz que se realiza com o esforço e a dedicação ao que é bom, belo e feliz. É necessário tomar a decisão de aceitar o convite de Deus e levantar-se para começar esta aventura.

Um segundo aspeto importante e belo é o final da parábola. Quando o dono da vinha, na sua grande generosidade, decide pagar o mesmo salário a todos (aos que trabalharam desde a primeira hora e aos que trabalharam apenas uma hora) há quem se sinta injustiçado e começa a murmurar. É do pior que podemos fazer. A murmuração é um perigo na vida e sobretudo na vida de uma comunidade cristã.

Murmurar é falar mal de alguém sem ter a coragem de o fazer na cara. É, no fundo, um grande ato de cobardia, que fere quem é visado pela murmuração mas fere também quem o faz. A solução de injustiças, verdadeiras ou falsas, passa sempre pelo diálogo sério e verdadeiro com as pessoas interessadas. E quando a murmuração serve simplesmente para ferir e fender (caso do bullying) é um pecado grave que mata a bondade que Deus pôs no nosso coração e nos afasta dos irmãos. Ás vezes pode parecer que a murmuração seja só “brincadeira” mas fere sempre. E fere gravemente. É um assunto muito sério que tem de ser evitado para bem de todos.

Quanto à injustiça que supostamente foi cometida pelo dono da vinha é necessário perceber que a misericórdia de Deus, que nos é oferecida de forma totalmente gratuita, é para ser partilhada com todos os que Ele ama. E isso não deixa ninguém mais pobre pois a misericórdia de Deus é infinita e isso quer dizer que dá para todos em medida igual. Os “outros” são para ser amados e não para fazer comparações. É necessário entrar na lógica do dom total de Deus que foi revelado em Jesus Cristo: Recebeste de graça, dai de graça.

Bom domingo!!!

Marcações: Estudar, Evangelho, Jesus , Tempo Comum , Deus, Bullying, Vinha, Pai, Receber

0
0
1
s2smodern

Últimas Notícias