Histórias para crescer - O verdadeiro valor de um anel

0
0
1
s2smodern

Certo dia, no final de uma aula, um aluno abordou o professor...

– Professor, eu sinto-me um inútil. Não tenho força nem vontade para nada. Dizem que não sirvo para nada… que sou lento… um completo idiota. Ajude-me, por favor.

O professor, sem olhá-lo, disse-lhe: 

– Sinto muito, meu jovem. Estou numa fase complicada e a tentar resolver um problema sério. Volte noutra altura, por favor.

Quando o jovem já ia a sair, o professor propôs- lhe: 

– Bem, se me ajudares, eu poderia resolver o meu problema mais rapidamente e depois pensávamos no teu…

– C… Claro, professor, concordou o jovem, bastante inseguro.

O professor tirou o anel que usava e disse-lhe: 

– Vai até ao mercado e vende este anel. Preciso de dinheiro pagar uma dívida, mas, por favor, promete-me que não o vendes por menos de uma moeda de ouro. Vai depressa e volta o mais rápido que conseguires.

Mal chegou ao mercado, o jovem começou a oferecê-lo a todos que encontrava. Eles olhavam com algum interesse, mas, quando o jovem dizia quanto pretendia pelo anel, todos se riam, voltavam-lhe as costas e ignoravam-no. Só um velhinho, vendo o seu sofrimento, foi simpático e explicou-lhe que uma moeda de ouro era muito dinheiro por aquele anel.

Um outro, tentando ajudar, chegou a oferecer uma moeda de prata e uma xícara de cobre, mas o jovem, seguindo as orientações do seu professor, recusou a oferta.

Abatido pelo fracasso e muito triste, voltou para junto do professor. Chegou mesmo a desejar ter uma moeda de ouro e comprar aquele anel, mesmo que não valesse tanto, somente para ajudar o professor.

Mal o viu começou a contar:

– Professor, sinto muito, não consegui vender o anel. É impossível conseguir o que o senhor está a pedir. Talvez eu consiga 2 ou 3 moedas de prata, mas, não mais que isso. Não podemos enganar ninguém sobre o verdadeiro valor deste anel.

– Tens razão, meu amigo, disseste algo de muito importante. Antes de tentar vender o anel, deveríamos, primeiro, saber o seu real valor. Não queremos enganar ninguém, nem ser enganados, correto? Por favor, peço-te que vás ao joalheiro; quem melhor do que ele para saber o valor verdadeiro deste anel? Diz-lhe que quero vendê-lo e pergunta quanto pode oferecer, mas, atenção, independentemente de quanto ofereça, não vendas o anel ao joalheiro. Pergunta apenas o valor do anel e volta para me dar a informação.

Na tentativa de ajudar o seu professor, o jovem foi até o joalheiro, que examinou o anel com muita atenção. O joalheiro, então, disse-lhe: – Diz ao teu professor que, se tem pressa em vender o anel, não lhe posso dar mais do que 20 moedas de ouro…

– 20?! – Perguntou o jovem com grande espanto.

– Sim, replicou o joalheiro, poderei chegar às 30 moedas de ouro, mas, só se ele não tiver pressa.

O jovem, emocionado, correu até ao professor e contou-lhe tudo. 

– 20 moedas de ouro, uau! – exclamou o professor, e rindo, troçou: – Aqueles homens no mercado perderam um bom negócio, não foi?

– Sim, professor - concordou o jovem, todo empolgado. – Então, professor, por quanto vai vender o anel?

– Eu não vou vender o anel! Fiz isto para perceberes uma coisa: Tu, meu jovem, és como esse anel, uma jóia valiosa e única. Mas, somente pessoas sábias podem avaliar o teu real valor. Ou pensas que qualquer um poderia avaliar corretamente? Não! Não importa o que digam de ti, o que importa é o teu real valor.

E, dizendo isso, colocou o seu anel no dedo, continuando:

Todos nós somos como esta jóia, únicos e valiosos; infelizmente, passamos por muitos mercados ao longo da vida, diminuindo o nosso próprio valor, na esperança que pessoas mal preparadas nos valorizem. Ninguém deveria ter a força de nos fazer sentir inferior, sem o nosso consentimento. Cada um de nós é especial, pois foi Deus que nos fez.

Fonte: Autoestima, de Miguel Angel Montoya e Carmen Elena Sol, Editorial PAX, México

Cada um de nós é um diamante em bruto e torna-se perigoso quando deixamos que os outros nos avaliem e atribuam valor sem nos conhecerem. Pior, é quando acreditamos que essas pessoas (nem sempre bem intencionadas) têm razão e medimos o nosso valor pelo que os outros dizem.

Os que devemos ouvir (acerca do nosso valor) são os que nos fazem descobrir o nosso diamante e o valorizam, porque esses são os que se preocupam e nos querem ver bem!

Do mesmo modo, quantos diamantes já desvalorizamos? Quantas pessoas que não conhecemos bem e negamos a oportunidade de ver e realçar o seu verdadeiro valor?

O mundo seria bem diferente se todos valorizassem o seu diamante e o dos outros! Esse seria um mundo iluminado pelo respeito e onde todos saberiam o seu verdadeiro valor.

Marcações: Valores, Crescer, Histórias

0
0
1
s2smodern

Últimas Notícias

  • 4 filmes para ver no Dia do Pai

    4 filmes para ver no Dia do Pai

    No Dia do Pai, nada melhor que um "serão cinematográfico" para celebrar todo o amor que recebes do teu pai. Deixamos-te algumas sugestões de filmes para veres neste dia especial.

  • Mindfulness: Como é que nos pode ajudar na escola?

    Mindfulness: Como é que nos pode ajudar na escola?

    Já muito se diz sobre o quão acelerados são os tempos em que vivemos. Além da distração,os mesmos aumentam os níveis de stress e ansiedade. Neste sentido, investigadores do Reino Unido debruçaram-se sobre como a meditação e o mindfulness pode contornar estes sintomas.

  • Escuta, Arrisca e Vive a Quaresma! | Domingo II da Quaresma

    Escuta, Arrisca e Vive a Quaresma! | Domingo II da Quaresma

    Depois de ter anunciado o Evangelho na Galileia, Jesus vai a caminho de Jerusalém. Como preparação para esta nova etapa da sua vida, começa a rezar. Sobe a um monte, o lugar de encontro com Deus. Leva consigo os seus discípulos de mais confiança: Pedro, João e Tiago.

  • As cores da Quaresma

    As cores da Quaresma

    Na quaresma a cor litúrgica predominante é o roxo. Mas também se usa o rosa. E porque é que nas festas se usa o branco? Quantas cores há na liturgia afinal?

  • Síndrome do pensamento acelerado: será que o tens?

    Síndrome do pensamento acelerado: será que o tens?

    Provavelmente já ouviste alguma pessoa mais velha da tua família a começar uma frase com a expressão “No meu tempo..." Este padrão nostálgico tem a ver com o facto de que tudo, tudo mesmo, muda a uma velocidade absurda. Queres um exemplo? As pessoas nascidas nos anos 80 ou antes disso têm lembranças nítidas de como era a vida sem internet, sem redes sociais e, inclusive, sem telemóvel.

  • Quaresma - dar a vida em esmola

    Quaresma - dar a vida em esmola

    Depois de termos aprofundado o sentido do jejum hoje falamos sobre a segunda “arma” que a Igreja nos aconselha para vencer o pecado neste tempo da quaresma: a esmola.

  • Moda: cada vez mais pessoas escolhem marcas amigas do ambiente

    Moda: cada vez mais pessoas escolhem marcas amigas do ambiente

    Não é segredo nenhum que a indústria da moda é a que mais contribui para a poluição do nosso planeta. Entre aterros acumulados com roupas deitadas fora, toneladas de água desperdiçada usadas para tingir tecidos todos os dias e microfibras prejudiciais que são colocadas nos oceanos, a necessidade de grandes mudanças nunca foi tão grande.

  • Histórias para Crescer: A Palmeira e a Pedra

    Histórias para Crescer: A Palmeira e a Pedra

    Ben Sadok não tinha um caráter fácil. Tinha sobretudo o vício de destruir tudo o que de belo e bom via à sua volta.

  • O que é isso do

    O que é isso do "Momo Challenge"?

    A não ser que andes a viver numa toca, de certeza que tens sido bombardeado com uma imagem de uma boneca assustadora, a entupir o teu feed no instagram, aterrorizando-te no Twitter ou no facebook. Bem-vindo ao Desafio MOMO.

  • Vem aí uma série sobre

    Vem aí uma série sobre "O Senhor dos Anéis"

    Se antes os nossos pais tinham de comprar pacotes de canais televisivos da mesma operadora, hoje temos de pedir para aderir a mais do que um serviço de streaming. A Amazon Prime está a preparar uma das séries mais caras de sempre - Senhor dos Anéis. 

  • 40 dias de “penitência”… porquê tanto tempo?

    40 dias de “penitência”… porquê tanto tempo?

    Há pouco tempo acompanhei uma missão juvenil e um dos missionários perguntou-me, mais ou menos com estas palavras: “Não se podia resolver isto da preparação para a Páscoa mais depressa? Sei lá…uma novena (9 dias) ou um tríduo (3 dias)?”. Eu respondi exatamente com estas palavras: “poder, podia…mas não era a mesma coisa!”

  • Escuta, Arrisca e Vive a Quaresma! | Domingo I da Quaresma

    Escuta, Arrisca e Vive a Quaresma! | Domingo I da Quaresma

    O deserto é um lugar misterioso, onde tanto a sobrevivência como a morte caminham lado a lado. Um lugar desafiante, onde também Deus conduz os profetas para lhes poder falar ao coração, onde caminha com o povo hebreu, partilhando a sua vida.