O meu amigo está a experimentar drogas, o que posso fazer?

0
0
0
s2sdefault

Hoje a nossa proposta de reflexão é a da liberdade dos vícios. São situações muito difíceis de gerir e às quais temos de ter um grande nível de empatia e compreensão. 

 

"Quero integrar-me"

Ninguém gosta de estar de fora. E por isso, consumir drogas pode ser uma maneira de fazer parte de um grupo. Pode ser uma maneira de resolver algumas inseguranças. Não se dão conta que as drogas os podem isolar dos seus amigos verdadeiros. Ou talvez não vejam as pessoas à sua volta que não usam drogas.

"Quero relaxar"

“Estou muito stressado. Preciso de acalmar a cabeça”, ou “As drogas acalmam-me”... O que estão realmente a dizer é “Beber ou consumir drogas é mais fácil do que lidar com os meus problemas ou pedir ajuda”. Os problemas ainda lá estarão, depois de passar o efeito do produto. Somados aos custos do consumo.

"Estou aborrecido"

Muita gente tenta as drogas para conseguir alguma animação: já não têm nada interessante para fazer, não têm paciência para ver pela 10ª vez o último DVD que compraram nem lhes apetece ir à praia... Mas as pessoas que tomam este tipo de decisão acabam por descobrir que as drogas são um desperdício doloroso. As drogas não mudam a situação. Aliás, só a tornam pior.

"Mas no filme pareceu altamente"

Embora haja cada vez mais campanhas contra as drogas e haja cada vez mais artistas a propor uma vida de qualidade, a verdade é que os media continuam a apresentar as drogas de forma muito sedutora. Da mesma forma como propõem modelos muito magros, mesmo sabendo que a anorexia é perigosa.
Mas se fores esperto, percebes que o mundo do espectáculo não é o mundo real. E basear as tuas escolhas de vida nessas mensagens é muito superficial.

"Pareço mais maduro"

Grande tolice! Pensa um bocado: Porque é que um adulto, alguém que pensa pela sua própria cabeça, precisaria de usar drogas? Provavelmente por muitas das razões que tu usas. A verdade é que as pessoas mais maduras que há por aí não usam drogas. Estão ocupadas a viver bem as suas vidas e não querem perder tempo com drogas que só as prejudicam.

"Quero revoltar-me"

Há gente que se vira para as drogas não tanto por causas internas mas para protestar. Contra a família, contra a escola,contra a sociedade... De algum modo, consumir drogas marca uma posição. O problema é que o consumo de drogas diminui a sua capacidade de ser independente ao torná-las dependentes. Há formas muito mais enérgicas de protestar contra o que está mal e muito mais eficientes para mudar as coisas.

"Só quero experimentar"

É da natureza humana o desejo de experimentar o desconhecido. Experimentar ajuda-nos a saber se uma coisa nos serve ou não. Mas também é óbvio que devemos evitar o que é notoriamente negativo para nós. Não é muito razoável saltar do 5º andar, só para ver se é perigoso. Se te move o desejo de experimentar coisas novas, há muitas possibilidades muito mais estimulantes que as drogas: desporto, música, rapar o cabelo, ver mau cinema, comer comida picante...

 

 

 

Marcações: Amigos, Vícios , Toxicodependentes

0
0
0
s2sdefault

Últimas Notícias

  • Sexta-Feira Santa: O dia do silêncio

    Sexta-Feira Santa: O dia do silêncio

    A celebração de Sexta-Feira Santa é a mais original de todas as da Liturgia romana: Não há eucaristia. O silêncio, o jejum, a oração, as devoções tradicionais, sobretudo as que ajudam a meditar e orar o mistério da cruz, elemento central deste dia ... 

  • Quinta-Feira Santa: A melhor lição de Jesus

    Quinta-Feira Santa: A melhor lição de Jesus

    Com a missa da Ceia do Senhor começa o Tríduo Pascal da morte, sepultura e ressurreição do Senhor. São João dá-nos a chave de tudo o que vivemos: "Amou-nos até ao extremo". 

  • Nos passos de Jesus: A fome no mundo

    Nos passos de Jesus: A fome no mundo

    A nossa proposta de reflexão de hoje centra-se nas milhares de pessoas que passam fome no mundo. Hoje propomos-te os números da fome no mundo. O que podemos nós fazer para inverter esta situação? 

  • O meu pai é o melhor do mundo!

    O meu pai é o melhor do mundo!

    É a maior frase feita do mundo, já sabemos. Infelizmente, contudo, nem toda a gente tem a felicidade de ter um pai tão fixe como os nossos. É por isso que hoje decidimos agradecer a todos os pais fixes do mundo. 

  • Como lidar com

    Como lidar com "bullies"?

    Se estás a ser vítima de "bullying", há muito que podes fazer. Enquanto táticas diferentes funcionam para pessoas diferentes, lembra-te que nunca estás sozinho.

  • Nos passos de Jesus: A vida no Hospital

    Nos passos de Jesus: A vida no Hospital

    Nos hospitais também há crianças e adolescentes. Os acidentes ou as doenças não escolhem idades. Vale a pena dialogar acerca do que é a vida no hospital.

  • Imigrantes: o que posso aprender com eles?

    Imigrantes: o que posso aprender com eles?

    Portugal tem sido um país de acolhimento de variadas culturas. Motivações económicas e políticas são as principais causas para muitas pessoas largarem aquilo que conhecem como casa, como lar. O que podemos aprender com estas histórias de vida?

  • 5 factos sobre o Dia Internacional da Mulher

    5 factos sobre o Dia Internacional da Mulher

    Há mais de 100 anos que o dia 8 de março ficou conhecido como o Dia Internacional da Mulher. Ainda que tenha diferentes significados em vários pontos do globo, hoje é preciso fazer mais do que publicar uma foto com uma hashtag catita.

  • Nos passos de Jesus: perseguidos pela fé

    Nos passos de Jesus: perseguidos pela fé

    Segundo o relatório sobre a Liberdade Religiosa no mundo, a Fundação da Ajuda à Igreja que Sofre (AIS), 20% dos países do mundo não respeitam a liberdade religiosa.

  • O meu amigo está a experimentar drogas, o que posso fazer?

    O meu amigo está a experimentar drogas, o que posso fazer?

    Hoje a nossa proposta de reflexão é a da liberdade dos vícios. São situações muito difíceis de gerir e às quais temos de ter um grande nível de empatia e compreensão. 

  • Sábado Santo: O dia do

    Sábado Santo: O dia do "nada"

    A celebração de Sábado Santo consiste em não ter celebrações. 

  • Nos passos de Jesus: O que posso fazer pelos refugiados?

    Nos passos de Jesus: O que posso fazer pelos refugiados?

    Segundo dados do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados, no final de 2017, estavam deslocadas contra a sua vontade 68,5 milhões de pessoas em todo o mundo, em resultado de guerras, conflitos armados ou violação dos direitos humanos.