Seca em Portugal - O que podemos nós fazer?

0
0
1
s2smodern

Como já deves ter reparado, este ano tem sido muito difícil para os recursos natrurais portugueses. Perdemos grande parte da área verde com os incêndios, desde o início do ano 2017 que pouco ou nada choveu e as temperaturas chegaram até outubro.

(na imagem: barragem do Vergancinho no passado dia 11 de novembro)

Depois dos incêndios, há um grande problema no nosso país - a seca. Os dados do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) dizem que cerca de 81% do país estava em seca severa e 7,4% em seca extrema a 30 de Setembro.

Em Outubro o cenário piorou: no final do mês, todo o território continental encontrava-se em situação de seca severa (24,8%) e extrema (75,2%). Tudo porque choveu 30% do valor normal. Foi o mês de Outubro mais quente dos últimos 87 anos, ou seja, desde que há registos (1931), com um valor médio da temperatura média do ar cerca de 3 °C acima do valor normal.

Agricultura, o setor mais afetado 

Em Portugal, agricultura é o sector que mais consome água. Mas o cenário não ajuda - os campos estão secos, sem pastagens, e os alimentos para os animais escasseiam. Os produtores pecuários temem que as rações e palha não sejam suficientes. Como as chuvas de Outono nunca chegaram, as produções do próximo ano estão a ser afectadas, como conta o Observador. Até agora, é garantido que 2018 terá menos cerejas, amêndoas e azeitonas. E se a chuva não tardar, vai faltar o milho e o arroz agulha nacional, porque não chegam sequer a ser semeados.

De uma forma geral, os legumes e a fruta deste 2017 estão a ser caracterizados pelos produtores como sendo anões em comparação com as outras colheitas.  Os frutos secos de Natal sofreram quer pela seca quer pelos incêndios; sobretudo os pinhões, que em circunstâncias normais vão ter um preço elevado, e hoje podem chegar aos 100 euros por quilo.

E nós? Que podemos fazer?

Em algumas situações do país já há camiões a abastecer a rede pública, como é o caso de Viseu. E se na capital, a seca pouco se sente; a Câmara Municipal, anunciou medidas para reduzir o consumo de água em fontes e na rega de jardins, poupando a Barragem de Castelo de Bode, cuja água é bebida pelos lisboetas.

Como podemos poupar água? São passos pequenos que podemos todos aplicar. 

  • Usa só as máquinas de lavar quando estiverem cheias;
  • Aproveitar a água usada sempre que possível (por exemplo fazer uma bacia com água para passar a loouça suja antes de ir para a máquina)
  • Fechar a torneira ou o chuveiro quando não estás a precisar dele.

 

Marcações: Ambiente, Incêndios,, Terra, Alimentação, Seca, Calor, Alimentos, Poupar

0
0
1
s2smodern

Últimas Notícias