Notice: Trying to access array offset on value of type int in /home/www/html/templates/yoo_bento/warp/src/Warp/Config/Repository.php on line 243

Notice: Trying to access array offset on value of type int in /home/www/html/templates/yoo_bento/warp/src/Warp/Config/Repository.php on line 243

Notice: Trying to access array offset on value of type int in /home/www/html/templates/yoo_bento/warp/src/Warp/Config/Repository.php on line 243

Notice: Trying to access array offset on value of type int in /home/www/html/templates/yoo_bento/warp/src/Warp/Config/Repository.php on line 243

Como pode um governo evitar os incêndios?

0
0
0
s2sdefault

O choque, a consternação e a solidariedade invadiram a sociedade portuguesa. O trágico incêndio deste fim-de-semana em Pedrogão Grande, que levou 62 almas e fez 6 dezenas de feridos, não pôs ninguém neste país (e não só) indiferente à problemática dos fogos florestais que assolam o nosso país todos os verões.

Pelas redes sociais vemos um pouco de tudo: homenagens às vítimas e ao trabalho dos bombeiros, discussão sobre o que terá originado o fogo (mesmo depois da PJ afirmar que foi um raio) e publicações de revolta, normalmente focadas na falta de meios, acusando os sucessivos governos de terem gasto o dinheiro dos contribuintes em coisas menos úteis/importantes. Ou seja, a discussão (e consequente pressão sobre os governantes que o debate cria) está essencialmente focada no combate ao incêndio e, tirando um ou outro caso, nunca se discute se seria possível diminuir o número de incêndios ou, pelo menos, a sua força ou velocidade de propagação.

Como sabemos, a floresta portuguesa, principalmente acima do Tejo, é constituída maioritariamente por Eucalipto e Pinheiro Bravo. Estas espécies (que foram trazidas pelo Homem para cá) são um excelente combustível para os incêndios devido às suas características “resinosas”. No caso dos eucaliptos, por exemplo, o fogo, depois de chegar ao topo da árvore, passa a propagar-se mais rapidamente entre as copas do que pela vegetação rasteira. Isto ocorre devido às “pequenas explosões” que se criam nos ramos quando o fogo lhes chega. São acendalhas naturais. Se juntarmos a estes a madeira extremamente resinosa do pinheiro bravo temos uma fogueira perfeita preparada para que chegue o fogo. Em dias com condições meteorológicas adversas, como foi o caso do passado fim-de-semana, por muitos aviões no ar e bombeiros no chão, o resultado não seria muito diferente. Sabemos isso porque tem sido sempre assim nas últimas décadas, ano passado foi a Madeira, Águeda e Arouca, este ano está a ser em Pedrogão, Góis e Arruda dos Vinhos. O fator comum é sempre o mesmo, uma floresta extremamente propícia a incêndios, a par de condições meteorológicas favoráveis à ocorrência de incêndios com o (infeliz) toque final do inexistente ordenamento florestal.

Então afinal, o que podemos fazer para evitar os incêndios? Como vivemos num país com clima propício a estes, nunca iremos conseguir acabar com eles. O fogo, no clima mediterrânico, é um elemento “autóctone”, não foi o Homem que o trouxe, mas os nossos comportamentos têm potenciado, ao longo dos séculos, o aumento da sua presença. Talvez criar um verdadeiro ordenamento do território, baseado na reconstrução da floresta autóctone, mais resistente ao fogo, aliada a um verdadeiro ordenamento florestal, que crie zonas de quebra fogo no meio da mancha florestal e limpeza da mesma junto das estradas possa ser um princípio. Este tipo de medidas não irá permitir discursos dos responsáveis políticos com aviões e helicópteros como pano de fundo, mas certamente, no medio e longo prazo irão tornar a floresta, e consequentemente o país, muito mais resistente ao fogo.

Marcações: Política, Verão, Incêndios,, Floresta

0
0
0
s2sdefault

Últimas Notícias

  • Sexta-Feira Santa: O dia do silêncio

    Sexta-Feira Santa: O dia do silêncio

    A celebração de Sexta-Feira Santa é a mais original de todas as da Liturgia romana: Não há eucaristia. O silêncio, o jejum, a oração, as devoções tradicionais, sobretudo as que ajudam a meditar e orar o mistério da cruz, elemento central deste dia ... 

  • Quinta-Feira Santa: A melhor lição de Jesus

    Quinta-Feira Santa: A melhor lição de Jesus

    Com a missa da Ceia do Senhor começa o Tríduo Pascal da morte, sepultura e ressurreição do Senhor. São João dá-nos a chave de tudo o que vivemos: "Amou-nos até ao extremo". 

  • Nos passos de Jesus: A fome no mundo

    Nos passos de Jesus: A fome no mundo

    A nossa proposta de reflexão de hoje centra-se nas milhares de pessoas que passam fome no mundo. Hoje propomos-te os números da fome no mundo. O que podemos nós fazer para inverter esta situação? 

  • O meu pai é o melhor do mundo!

    O meu pai é o melhor do mundo!

    É a maior frase feita do mundo, já sabemos. Infelizmente, contudo, nem toda a gente tem a felicidade de ter um pai tão fixe como os nossos. É por isso que hoje decidimos agradecer a todos os pais fixes do mundo. 

  • Como lidar com

    Como lidar com "bullies"?

    Se estás a ser vítima de "bullying", há muito que podes fazer. Enquanto táticas diferentes funcionam para pessoas diferentes, lembra-te que nunca estás sozinho.

  • Nos passos de Jesus: A vida no Hospital

    Nos passos de Jesus: A vida no Hospital

    Nos hospitais também há crianças e adolescentes. Os acidentes ou as doenças não escolhem idades. Vale a pena dialogar acerca do que é a vida no hospital.

  • Imigrantes: o que posso aprender com eles?

    Imigrantes: o que posso aprender com eles?

    Portugal tem sido um país de acolhimento de variadas culturas. Motivações económicas e políticas são as principais causas para muitas pessoas largarem aquilo que conhecem como casa, como lar. O que podemos aprender com estas histórias de vida?

  • 5 factos sobre o Dia Internacional da Mulher

    5 factos sobre o Dia Internacional da Mulher

    Há mais de 100 anos que o dia 8 de março ficou conhecido como o Dia Internacional da Mulher. Ainda que tenha diferentes significados em vários pontos do globo, hoje é preciso fazer mais do que publicar uma foto com uma hashtag catita.

  • Nos passos de Jesus: perseguidos pela fé

    Nos passos de Jesus: perseguidos pela fé

    Segundo o relatório sobre a Liberdade Religiosa no mundo, a Fundação da Ajuda à Igreja que Sofre (AIS), 20% dos países do mundo não respeitam a liberdade religiosa.

  • O meu amigo está a experimentar drogas, o que posso fazer?

    O meu amigo está a experimentar drogas, o que posso fazer?

    Hoje a nossa proposta de reflexão é a da liberdade dos vícios. São situações muito difíceis de gerir e às quais temos de ter um grande nível de empatia e compreensão. 

  • Sábado Santo: O dia do

    Sábado Santo: O dia do "nada"

    A celebração de Sábado Santo consiste em não ter celebrações. 

  • Nos passos de Jesus: O que posso fazer pelos refugiados?

    Nos passos de Jesus: O que posso fazer pelos refugiados?

    Segundo dados do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados, no final de 2017, estavam deslocadas contra a sua vontade 68,5 milhões de pessoas em todo o mundo, em resultado de guerras, conflitos armados ou violação dos direitos humanos.