Notice: Trying to access array offset on value of type int in /home/www/html/templates/yoo_bento/warp/src/Warp/Config/Repository.php on line 243

Notice: Trying to access array offset on value of type int in /home/www/html/templates/yoo_bento/warp/src/Warp/Config/Repository.php on line 243

Notice: Trying to access array offset on value of type int in /home/www/html/templates/yoo_bento/warp/src/Warp/Config/Repository.php on line 243

Notice: Trying to access array offset on value of type int in /home/www/html/templates/yoo_bento/warp/src/Warp/Config/Repository.php on line 243

Os dias difíceis da Venezuela

0
0
0
s2sdefault

O socialismo do século XXI é um termo político muito usado para descrever uma interpretação muito própria dos princípios socialistas, por parte do ex-presidente da Venezuela, Hugo Chávez. A verdade é que, na altura, ninguém entendia muito bem o que é que ele queria dizer, mas hoje em dia os venezuelanos sofrem as consequências de um modelo político que foi vendido como a solução ideal para alcançar a igualdade das classes sociais.

 

Frases como Ser rico é mau, é desumano e insultos públicos para com aqueles que pensam diferente têm sido expressas nos últimos 18 anos, criando um ambiente hostil onde venezuelanos lutam até à morte por divergências políticas. Baseado num sistema de educação gratuita a partir de 1870, o socialismo do século XXI abriu novas escolas, para que aqueles que não contam com recursos financeiros possam estudar, mas tudo a um custo elevado, doutrinando jovens com princípios socialistas, eliminando, assim, a diversidade de pensamentos. Então, certamente isto será igualdade, igualdade de pensamento.       

O socialismo do século XXI, também ofereceu igualdade económica. É por isso que em 2003, o ex-presidente Chávez criou um controlo de câmbio, sob o pretexto de evitar a fuga de capitais e fortalecer a economia venezuelana. Mas isso significa que ninguém na Venezuela pode mudar bolívares (Bs -moeda venezuelana) de dólares em qualquer banco como é feito em qualquer outro país. A partir daqui o Estado era responsável por decidir qual empresa ou pessoa é que pode obter uma certa quantidade de divisas para importar mercadorias no país ou para viajar. Por muitos anos, o governo estabeleceu uma taxa de câmbio fixa, um dos últimos foi Bs. 1.000 por dólar, mas os venezuelanos podem facilmente obter essas moedas, para poder viajar ou importar alguma coisa? A resposta é não. E o que acontece numa economia onde existe um controlo tão restrito? Sem dúvida alguma que nasce o mercado negro, onde a taxa de câmbio é variável e desta vez a taxa é de Bs 7.100 por dólar. Então aquí entendes que podes pertencer a um de dois grupos. Em primeiro lugar, o Estado pode adquirir moeda estrangeira para Bs. 1.000 e revendê-los no mercado negro a Bs. 7.100 ou o segundo grupo, que são venezuelanos comuns que ganham um salário mínimo mensal de Bs. 200.000 ou US $ 28,16 . 

Criar leis para regular os preços dos alimentos, a nacionalização de empresas produtoras de alimentos, eletricidade e água causaram a pior escassez de produtos e serviços que já existiam na Venezuela. Quando um país regula os preços dos alimentos, duas coisas acontecem: o primeiro é que quando se coloca preços tão baixos, a procura cresce de tal forma que toda a gente quer comprar, mas a oferta diminui, porque o custo de produção é muito maior do que o preço de venda, pelo que rápidamente se esgotam os stocks. Foi assim que começou o racionamento de alimentos na Venezuela, onde apenas se podia comprar comida duas vezes por semana. Dependendo do último número do nosso bilhete de identidade, os venezuelanos sabiam que dia era o de ir às compras, muito semelhante ao modelo aplicado em Cuba. Para que possas perceber aquilo que estou a dizer, há alguns meses atrás eu fui a uma farmácia para comprar uma escova de dentes, porque estava na hora de a trocar, mas quando chego à caixa para pagar, dizem-me que não posso levar a escova de dentes.

Quando eu perguntei porquê, uma vez que as escovas de dentes não são um bem regulado pelo Estado, explicaram-me que as escovas tornaram-se um bem regulamentado precisamente nesse dia, sendo que só quem tinha o último número de bilhete de identidade 5 ou 6 é que podia comprar. O meu termina em 2.  Eu tive que sair sem a escova, mas com uma grande indignação. O mesmo vale para o leite, arroz, farinha, massas, entre outras. Hoje, este método é usado apenas em alguns estabelecimentos comerciais porque quase não existem bens regulados pelo Estado, e as pessoas não têm outra alternativa senão ir ao mercado negro comprar alimentos que custam até três vezes mais do que no supermercado.

Ter o controlo de tudo transformou este governo poderoso, tendo a possibilidade de decidir a vida dos venezuelanos, até mesmo as escovas de dentes que podem usar. Ataca-se aqueles que pensam de uma forma diferente, forçando a que todos pensem de forma igual, tornando-os em seres económicamente dependentes e conformistas, porque não há tempo para pensar no futuro quando há tantos problemas no presente. É assim que funciona a igualdade socialista na Venezuela – tira a capacidade de sonhar de milhões, para manter no poder um pequeno grupo.

 

Marcações: Política, Venezuela, Atualidade

0
0
0
s2sdefault

Últimas Notícias

  • Sexta-Feira Santa: O dia do silêncio

    Sexta-Feira Santa: O dia do silêncio

    A celebração de Sexta-Feira Santa é a mais original de todas as da Liturgia romana: Não há eucaristia. O silêncio, o jejum, a oração, as devoções tradicionais, sobretudo as que ajudam a meditar e orar o mistério da cruz, elemento central deste dia ... 

  • Quinta-Feira Santa: A melhor lição de Jesus

    Quinta-Feira Santa: A melhor lição de Jesus

    Com a missa da Ceia do Senhor começa o Tríduo Pascal da morte, sepultura e ressurreição do Senhor. São João dá-nos a chave de tudo o que vivemos: "Amou-nos até ao extremo". 

  • Nos passos de Jesus: A fome no mundo

    Nos passos de Jesus: A fome no mundo

    A nossa proposta de reflexão de hoje centra-se nas milhares de pessoas que passam fome no mundo. Hoje propomos-te os números da fome no mundo. O que podemos nós fazer para inverter esta situação? 

  • O meu pai é o melhor do mundo!

    O meu pai é o melhor do mundo!

    É a maior frase feita do mundo, já sabemos. Infelizmente, contudo, nem toda a gente tem a felicidade de ter um pai tão fixe como os nossos. É por isso que hoje decidimos agradecer a todos os pais fixes do mundo. 

  • Como lidar com

    Como lidar com "bullies"?

    Se estás a ser vítima de "bullying", há muito que podes fazer. Enquanto táticas diferentes funcionam para pessoas diferentes, lembra-te que nunca estás sozinho.

  • Nos passos de Jesus: A vida no Hospital

    Nos passos de Jesus: A vida no Hospital

    Nos hospitais também há crianças e adolescentes. Os acidentes ou as doenças não escolhem idades. Vale a pena dialogar acerca do que é a vida no hospital.

  • Imigrantes: o que posso aprender com eles?

    Imigrantes: o que posso aprender com eles?

    Portugal tem sido um país de acolhimento de variadas culturas. Motivações económicas e políticas são as principais causas para muitas pessoas largarem aquilo que conhecem como casa, como lar. O que podemos aprender com estas histórias de vida?

  • 5 factos sobre o Dia Internacional da Mulher

    5 factos sobre o Dia Internacional da Mulher

    Há mais de 100 anos que o dia 8 de março ficou conhecido como o Dia Internacional da Mulher. Ainda que tenha diferentes significados em vários pontos do globo, hoje é preciso fazer mais do que publicar uma foto com uma hashtag catita.

  • Nos passos de Jesus: perseguidos pela fé

    Nos passos de Jesus: perseguidos pela fé

    Segundo o relatório sobre a Liberdade Religiosa no mundo, a Fundação da Ajuda à Igreja que Sofre (AIS), 20% dos países do mundo não respeitam a liberdade religiosa.

  • O meu amigo está a experimentar drogas, o que posso fazer?

    O meu amigo está a experimentar drogas, o que posso fazer?

    Hoje a nossa proposta de reflexão é a da liberdade dos vícios. São situações muito difíceis de gerir e às quais temos de ter um grande nível de empatia e compreensão. 

  • Sábado Santo: O dia do

    Sábado Santo: O dia do "nada"

    A celebração de Sábado Santo consiste em não ter celebrações. 

  • Nos passos de Jesus: O que posso fazer pelos refugiados?

    Nos passos de Jesus: O que posso fazer pelos refugiados?

    Segundo dados do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados, no final de 2017, estavam deslocadas contra a sua vontade 68,5 milhões de pessoas em todo o mundo, em resultado de guerras, conflitos armados ou violação dos direitos humanos.